Video Unlimited passará a se chamar PlayStation Video, anuncia Sony

Por Redação | 29.01.2015 às 17:30
photo_camera Divulgação

Não são apenas os serviços musicais da Sony que passarão por mudanças nos próximos dias. Em uma medida para tornar todas as suas plataformas uniformes, a empresa está anunciando que o Video Unlimited, seu sistema de aluguel e compra de filmes e séries de TV digitais, passará a se chamar PlayStation Video.

Na prática, o funcionamento da plataforma não sofrerá mudanças, já que como a Sony deixou claro que se trata apenas de um alinhamento de marca. Então, ao contrário do que vai acontecer com o Music Unlimited, o serviço não será fechado completamente. No caso das músicas, a empresa pretende encerrar a oferta atual para começar a trabalhar com o PlayStation Music, novidade que vai funcionar em integração com o Spotify.

Apesar do nome, o serviço continuará funcionando fora do PlayStation 3, PlayStation 4 e PlayStation Vita, sendo suportado também por televisores inteligentes da marca e smartphones da linha Xperia. Disponível em 11 países, o PlayStation Video começa a operar em 11 de fevereiro e os clientes não precisarão tomar atitude alguma para realizar a mudança.

O Video Unlimited, inclusive, chegou recentemente ao Brasil, permitindo realizar compras com cartão de crédito nacional e um vasto acervo localizado de filmes e séries. A mudança de marca, então, deve se estender também ao nosso país.

É importante deixar claro aqui a diferença entre o serviço de que estamos falando e o PlayStation Vue. Enquanto o primeiro permite o aluguel e compra de filmes e séries digitais sob demanda, o segundo, que ainda não foi lançado em terras brasileiras, também dará acesso à televisão ao vivo por meio de streaming, com opções de gravação e guia de canais.

Sobre ele, a Sony também falou rapidamente. A plataforma, que vem sendo testada de forma extremamente limitada com alguns usuários das cidades de Chicago, Filadélfia e Nova Iorque, tem lançamento previsto para acontecer até março. Isso, claro, nos Estados Unidos, já que, por enquanto, não existe nenhuma previsão de chegada da plataforma ao Brasil.