Venda mundial de PCs registra maior queda desde 1994

Por Redação | 11.04.2013 às 17:45

O mercado mundial de computadores registrou no primeiro trimestre de 2013 14% de queda, apresentando a pior redução no número de novos aparelhos vendidos desde 1994, segundo pesquisa realizada pela consultoria IDC. Nos três primeiros meses do ano foram vendidas 76,3 milhões de unidades ao redor do mundo, retração de 13,9% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

A queda pegou os analistas de surpresa, já que eles estimavam uma redução menor no mercado de computadores pessoais para o primeiro trimestre do ano, de 7,7%. A HP se manteve na liderança no período, tendo vendido 11.997 milhões de PCs, mas foi a fabricante que sentiu a pior redução no setor, com 23,7% de diminuição em relação ao mesmo período de 2012.

A contração do mercado aconteceu mesmo com a economia mundial apresentando melhora e com o lançamento da nova geração do sistema operacional da Microsoft, o Windows 8, em outubro do ano passado. O Windows 8 chegou ao mercado com a missão de alavancar as vendas de PCs e transformar o formato com a introdução de elementos sensíveis ao toque, mas a IDC afirma que isso acabou elevando o custo de novos produtos e fez com que muitas pessoas optassem por ficar com seus atuais computadores por mais tempo.

"Neste momento, infelizmente, parece claro que o Windows 8 não só não conseguiu dar um impulso no mercado de PCs, como parece ter retardado o desempenho do mercado", afirmou em nota oficial Bob O'Donnel, vice-presidente da IDC Programs, Clients and Displays. "Enquanto alguns consumidores apreciam os novos formatos e capacidades touchscreen do Windows 8, as mudanças radicais na interface do usuário, a remoção do botão 'Iniciar' e os custos associados com o touchscreen tornaram os PCs a opção menos atraente em relação a tablets e dispositivos móveis. A Microsoft precisará tomar decisões mais severas se quiser ajudar a revigorar o mercado de desktops".

Os analistas afirmam que a situação se mostra alarmante para o mercado de computadores e que as empresas deverão estudar o aumento de dispositivos móveis no mercado para pensar em novas estratégias de negócios, e, por conseguinte, voltar às posições dominantes no setor.