Uber divulga primeira pesquisa sobre o perfil dos condutores do serviço

Por Redação | 26 de Janeiro de 2015 às 08h35

O Uber divulgou na última quinta-feira (22) o primeiro estudo que revela qual o perfil dos motoristas do serviço. O relatório foi realizado em coautoria entre o chefe de pesquisa política do Uber, Jonathan Hall, e o professor da Universidade de Princeton em economia e relações públicas, Alan Krueger.

A pesquisa revelou que 87% dos condutores do serviço foram atraídos pela possibilidade de “ser o próprio chefe”, sendo que a flexibilidade para escolher seus horários e conciliação com outras atividades foi um dos principais fatores. O regime parcial de trabalho é adotado por 52% dos motoristas e um em cada três concilia a tarefa com outro emprego como uma forma de aumentar a renda.

Os motoristas profissionais, que fazem parte da modalidade UberBLACK, representam 18% do total, mas, considerando todas as modalidades do serviço, metade dos condutores já tinha experiência anterior no setor.

Entre os condutores, 14% são mulheres, uma média maior do que a de taxistas, onde elas representam 1%. Além disso, 25% dos motoristas têm mais de 50 anos de idade e apenas 19% têm menos de 30 anos.

Os motoristas costumam usar o aplicativo do Uber mais de cinco vezes por dia quando estão trabalhando e ganham uma média de US$ 19 por hora. Em Nova Iorque, cidade onde condutores têm o maior rendimento no mundo, os profissionais do serviço recebem, em média, US$ 30,35 por hora, enquanto taxistas ganham US$ 15,17.

O relatório destaca, no entanto, que os números não levam em conta os custos do condutor. “Os dados sugerem que, a menos que os custos com impostos, em média, sejam mais de US$ 6 por hora, as remunerações horárias líquidas de parceiros/motorista do Uber excedem o salário por hora de motoristas de taxistas”, explica a publicação.

O estudo também revela que a plataforma continua atraindo novos motoristas principalmente graças à possibilidade de aumento de renda. 71% dos profissionais entrevistados, por exemplo, afirmaram que aumentaram sua renda após começar a trabalhar com a empresa. Até mesmo um gráfico foi divulgado mostrando o potencial do Uber de atrair mais motoristas. Entre a metade de 2014 e o início de 2015, o número de novos motoristas dobrou:

Uber pesquisa

O levantamento foi realizado pela empresa Benenson Strategy Group e entrevistou 601 motoristas em dezembro de 2014 em 20 mercados do Uber nos Estados Unidos, incluindo Nova Iorque, São Francisco e Austin. As entrevistas foram anônimas e os motoristas foram compensados pela participação.

Fonte: http://www.businessinsider.com/uber-driver-data-report-2015-1http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/uber_estudou_os_seu_condutores_o_que_descobriu.html

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.