Trabalhadores móveis: falta de cobertura 3G ainda é um problema

Por Redação | 28 de Março de 2013 às 12h30

Os "trabalhadores móveis" estão usando uma grande variedade de dispositivos conectados, mas eles ainda enfrentam alguns desafios relacionados à disponibilidade de conexão WiFi e limite de plano de dados. Isso acaba se tornando um obstáculo em relação ao aumento da produtividade, de acordo com um relatório da iPass sobre a força de trabalho móvel.

Para chegar aos resultados apresentados no relatório, a iPass se baseou em uma pesquisa realizada com mais de 1.600 funcionários móveis de empresas ao redor do mundo, entre 17 de janeiro de 2013 e 8 de fevereiro de 2013. Dentre os entrevistados, 62% disseram usar smartphones pessoais no trabalho, ilustrando a força da tendência do BYOD, e 72% acreditam que seus dispositivos pessoas devam ser habilitados para fins de trabalho.

O estudo mostrou que os smartphones estão ganhando um papel cada vez mais importante: no ano passado, o principal dispositivo escolhido pelos trabalhadores móveis foi o notebook, mas em 2013 quem ocupa essa posição é o iPhone.

Por outro lado, os tablets "não-Apple" estão ganhando força entre esse grupo de trabalhadores, com 28% deles dizendo que pretendem adquirir um Samsung Galaxy Tab dentro dos próximos seis meses, e 17% com a expectativa de comprar um tablet com Windows 8 dentro do mesmo período.

Dados móveis e WiFi versus BYOD

O relatório também observou que 42% dos trabalhadores disseram que estão limitando o uso de seus dados móveis devido a restrições em seus planos mensais. Isso pode gerar implicações para os programas de BYOD, principalmente pelo fato de os usuários terem que decidir se vão usar seus dados para acessos pessoais ou corporativos.

"WiFi está se tornando onipresente, mas a maioria dos trabalhadores móveis relatam ter problemas para localizar e se conectar a um hotspot, pelo menos uma vez por semana", disse o relatório. "O serviço de WiFi é particularmente pobre em hotéis e aeroportos" - locais onde tal serviço é normalmente considerado necessário.

Parte desse problema pode ser baseada nos custos, já que muitos hotéis, por exemplo, oferecem WiFi grátis em áreas comuns, mas cobram pelo uso de cada dispositivo separadamente em outros ambientes.

"As preocupações de custo podem até pressionar os trabalhadores a renunciar totalmente o WiFi, embora esteja tecnicamente disponível. Cada um desses cenários pode resultar em atrasos significativos de produtividade", explica o relatório.

Na Ásia, por exemplo, 63% dos trabalhadores não conseguem encontrar uma rede WiFi pelo menos uma vez por semana, enquanto na Europa isso acontece com 59% deles, e 49% na América do Norte. O iPass explica que não basta possuir um smartphone ou um tablet para realizar um trabalho móvel. Para que ele seja realmente eficaz, esses dispositivos devem estar conectados a redes de alta velocidade.

Leia também: BYOD: Como a mobilidade pode mudar o jeito como você trabalha

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.