Tim Cook: um líder apático ou apenas centrado?

Por Joyce Macedo | 26 de Agosto de 2013 às 13h42

Tim Cook é um líder que ainda divide muitas opiniões, e no próximo mês ele deve encarar um momento-chave em sua história como CEO da Apple: o lançamento de um novo e redesenhado iPhone. Mesmo dois anos após assumir o cargo mais alto na Maçã, Cook ainda sofre com a inevitável comparação com o antigo CEO da companhia.

Substituir Steve Jobs é, de longe, uma tarefa extremamente complicada e assustadora por uma série de razões, entre elas ter a obrigação de manter a empresa no topo, com seu perfil inovador e clientes fieis. Mas não é bem isso que está acontecendo com a Apple.

Muitos comentários acerca das mudanças que aconteceram na companhia desde a morte de Jobs podem ser vistos por aí, e boa parte deles partindo de pessoas importantes. Por exemplo, Larry Ellison, CEO da Oracle, nunca escondeu que era um grande admirador de Steve Jobs, e, durante uma entrevista concedida recentemente, ele disse que a Apple não terá um bom futuro sem o seu cofundador. O conselho administrativo da Apple também se pronunciou recentemente afirmando que está preocupado com a falha no quesito inovação da empresa, exigindo também que Tim Cook "acelere" esse processo.

Poornima Gupta e Peter Henderson, da agência de notícias Reuters, escreveram uma matéria dizendo que Cook "lidera uma revolução cultural silenciosa na Apple". Eles citam o fato de a empresa ter se tornado algo completamente diferente: um gigante corporativo maduro ao invés de uma empresa de inovações desconexa. Talvez essa transição tenha sido inevitável após um período de cinco anos surpreendente, onde o faturamento da Apple aumentou mais de seis vezes, seus lucros cresceram 12 vezes e o preço de suas ações saltou de US$ 150 para um pico de US$ 705.

Apesar dessa explicação coerente, as diferenças ainda têm sido dolorosas para alguns. Muitos temem que essas mudanças na cultura da empresa orquestradas por Cook tenham apagado o fogo que levava os funcionários a tentar alcançar o impossível.

Cook é conhecido como um workaholic que gosta de preservar a sua privacidade, um executivo pensativo e que sabe ouvir. Esse jeito mais tranquilo do CEO refletiu no dia a dia da Apple, onde se estabeleceu um estilo metódico extremamente oposto ao de seu antecessor, Steve Jobs. Por outro lado, o regime de Cook também é visto como amigável e gentil, e tem sido apreciado por muitos.

Em meio a tantas opiniões divergentes, no próximo mês Cook terá sua chance de mostrar o resultado de seu trabalho na Apple. Resta saber se os novos iPhones, incluindo o polêmico modelo de baixo custo, serão bem recebidos pelo mercado e pelos consumidores até então apaixonados pela marca da Maçã.

Leia também: Veja algumas mudanças que ocorreram na Apple desde o falecimento de Steve Jobs

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.