Tendências globais para a internet e as PMEs em 2014

Por Colaborador externo | 03 de Julho de 2014 às 09h25

por Sabrina Gallier*

A cada ano novas empresas e ideias estão surgindo ao redor do mundo. Com a propagação mais democrática da internet e a difusão da informação cada vez mais ágil, o mundo tem mudado rapidamente e, para nós, empreendedores e empresários, este cenário apresenta inúmeras oportunidades, mas também riscos. Dentre as pequenas empresas de hoje, algumas possuem grandes chances de se tornarem grandes amanhã, e isso vem acontecendo cada vez mais rápido.

Enquanto segmentos inteiros são criados e estão em expansão, outros são reestruturados em meses. As mudanças de comportamento chegam ligeiras e podem mudar hábitos de consumo de toda uma geração, a agilidade nas empresas em perceber em tais mudanças, preverem o mercado e se reinventarem, é crucial a longo prazo.

O maior acesso à Internet móvel e o crescimento da venda de smartphones e tablets já não é novidade e chama a atenção de grandes marcas, que têm investido grande parte da verba publicitária no meio digital.

O Mercado está bastante estável, os especialistas não estão prevendo uma “bolha na internet”, como a que aconteceu no ano 2000, mas a rede de comunicação tem visto uma mudança de plataformas de redes sociais abertas parar e de privadas, devido ao uso, por exemplo, do Whatsapp e Snapchat, crescer.

A internet está reestruturando indústrias sólidas como a Hoteleira, Transporte e Comércio. As pessoas tomam a maior parte das decisões online e muitos sites/aplicativos vêm redefinindo esses comportamentos. A indústria hoteleira foi impactada pelo Airbnb; no comércio eletrônico mundial o impacto veio do Alibaba; nos transportes tem aplicativos como o Uber, o 99taxi e o Waze.

O universo da música também está em mudança e se reestruturando. As pessoas cada vez mais vêm consumindo música através de streaming ao invés de compras de áudio digital via downloads de mp3, por exemplo. O streaming de música aumentou 32% enquanto a compra de música caiu 6%. Alguns aplicativos recentes em crescimento acelerado são o Spotify, Rdio, Deezer, iTunes, soundcloud, entre outros. O mercado chinês está inovando também, o aplicativo Wechat tem 400 milhões de usuários e, além de mensagens, também acha taxis e restaurantes e gerencia investimentos, entre outras funcionalidades.

O interesse crescente em crypto moedas, uma moeda digital, como o Bitcoin é real. A carteira para Bitcoin (Bitcoin wallet) cresceu 8 vezes ano passado. Cada vez mais os negócios estão aceitando crypto moedas como meio de pagamento e o Bitcoin inteve seu melhor trimestre até agora.

O compartilhamento de fotos continua crescendo absurdamente, mas agora são compartilhadas de forma mais privada. O crescimento foi principalmente nos aplicativos de Whatsapp e Snapchat.

Encontros românticos estão mudando de contexto. O aplicativo Tinder é um dos mais usados no mundo, com 21 milhões de “encontros” virtuais (matches). No Brasil, já são mais de 10 milhões de usuários.

Durante comerciais de TV, grande parte das pessoas se volta para alguma outra tela, como a do tablet ou cellular e só voltam novamente à TV quando o programa assistido retorna dos comerciais. Segundo a comScore, os brasileiros que hoje têm acesso à Internet já gastam mais tempo na web do que aqueles que assistem à TV. São 52,3 milhões de brasileiros que navegam na Internet diariamente, com um tempo médio que passa de 3h30 durante a semana e de 20h por mês.

Quem souber aproveitar estas mudanças na sociedade e inovar, tem um campo vasto de possibilidades e a chance de mudar a forma toda uma forma de comunicação ou de prestação de serviço.

*Sabrina Gallier é cofundadora da Nibo, empresa de gestão financeira para pequenas e médias empresas.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.