Tatuagem com biosensor diz quando atletas estão prestes a atingir seus limites

Por Redação | 07 de Agosto de 2013 às 09h45

Alguns atletas se empolgam muito na hora de realizar atividades físicas e acabam atingindo um nível de gasto de energia extremo, entrando em colapso. Mas um novo tipo de tatuagem pode ajudar a avisá-los quando eles estão se aproximando desse limite.

Quando uma pessoa realiza atividade física rigorosa por períodos prolongados, os níveis de lactato podem subir e se acumular no corpo. Funciona assim: o lactato é produzido pelo organismo para fornecer energia sem a presença de oxigênio, e em atividades físicas de longa duração, o suprimento de oxigênio nem sempre é suficiente. O organismo tenta então buscar essa energia em fontes alternativas, produzindo o lactato. Porém, o acúmulo desta substância nos músculos pode gerar uma hiperacidez, que causa dor, desconforto e fadiga.

O Gizmag explica que o monitoramento dos níveis de lactato pode ajudar os atletas a não chegarem ao ponto da fadiga, mas, infelizmente, o acompanhamento em tempo real atualmente envolve exames de sangue ou o uso de equipamentos volumosos durante a prática de exercícios – nada confortável.

Porém, pesquisadores da Universidade da Califórnia criaram um biosensor eletroquímico flexível capaz de mudar essa situação. Aplicado à pele, esse sensor, como uma tatuagem temporaria, mede continuamente os níveis de lactato no suor do atleta.

A tecnologia foi testada em dez cobaias que estavam se exercitando em uma bicicleta ergométrica, e ela foi capaz de indicar com precisão o aumento dos níveis de lactato durante as pedaladas. Apesar da eficácia do projeto, ainda não se sabe quando – ou se – o biosensor estará disponível no mercado para os pobres mortais.

Tatuagem Biossensor

Imagem: Reprodução / Gizmag

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.