Supermercado brasileiro testa prateleira virtual; compras são feitas com QR Code

Por Redação | 24 de Agosto de 2012 às 12h20

Em países como Japão e Coreia do Sul, a utilização de vitrines virtuais que permitem que os usuários façam suas compras através dos seus dispositivos móveis já é muito comum. E, agora, os consumidores brasileiros também poderão fazer compras utilizando seus smartphones e aplicativos leitores de QR Codes.

As primeiras vitrines virtuais, que se assemelham com as gôndolas dos supermercados, estão sendo instaladas em locais públicos e os usuários poderão fazer suas compras e recebê-las em casa sem ter que ir ao supermercado ou loja.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Vitrine virtual Pão de Açúcar

Através de um leitor de QR Code, os usuários fazem suas compras e recebem as mercadorias em suas casas

Utilizar o serviço é muito simples: basta o usuário posicionar a câmera do seu smartphone para o QR Code - espécie de código de barras -, adicionar o item à sua lista de compras virtual, fazer o pagamento com seu cartão de crédito e aguardar a mercadoria ser entregue em sua casa.

De acordo com uma reportagem do G1, as vitrines virtuais começaram a ser disponibilizadas no país em setembro de 2011, quando a loja virtual Submarino instalou o sistema na sala de embarque do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

No último mês, a rede de supermercados Pão de Açúcar instalou uma vitrine, com mais de 300 itens disponíveis, no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo. "Já tínhamos alguns facilitadores para viabilizar o projeto, como o aplicativo de e-commerce. Tivemos apenas que adaptá-los para a leitura dos códigos. Só ligamos os pontos e buscamos um bom lugar para o lançamento", afirmou Andréa Dietrich, gerente de marketing digital do Pão de Açúcar.

Em 2010, a rede lançou aplicativos exclusivos para os usuários de aparelhos iOS e Android, que podem ser utilizados em conjunto com as vitrines virtuais na hora das compras. Já o sistema empregado pelo Submarino exige apenas que o usuário tenha conexão com a internet e um aplicativo leitor de QR Code.

Diferentemente dos códigos de barras tradicionais, os QR Codes utilizam o cruzamento de linhas com barras verticais e são capazes de armazenar mais informações sobre os produtos. Além disso, eles são capazes de redirecionar o usuário até o site oficial da empresa e já estão sendo utilizados até mesmo em lojas físicas.

Com base na viabilidade do projeto, as empresas agoram estudam implantar o sistema de vitrines virtuais em outros pontos e locais públicos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.