Steve Wozniak acredita que Apple e Google deveriam ser parceiros

Por Redação | 04.11.2013 às 16:34

O co-fundador da Maçã disse em uma entrevista à BBC que a Apple e o Google deveriam firmar parceria nos próximos anos. “Eu peço a Deus que a Apple e o Google sejam parceiros no futuro”, revelou Steve Wozniak.

Encorajar a abertura, o compartilhamento de informações e seus métodos beneficiariam a todos no desenvolvimento da tecnologia. Ele mesmo admite que, por exemplo, o reconhecimento de voz do Android é melhor que a Siri, da Apple.

“Às vezes eu procuro algum restaurante para jantar e a Siri não consegue me dizer onde ele fica. E quando eu pergunto isso ao Android, ele me dá uma resposta imediata”, disse Wozniak. “Isso acontece por causa do acesso do Android ao buscador Google”.

Wozniak acredita que, se as empresas compartilhassem suas informações, todos os produtos do mercado teriam uma qualidade melhor e com mais compatibilidade. “Existem várias coisas boas que eu vejo nos telefones da Samsung e que gostaria que estivessem no iPhone. Eu gostaria que a Apple pudesse usá-las e não sei se a Samsung nos faria parar”.

Na visão do co-fundador da Apple, se as empresas compartilhassem mais entre si, o desenvolvimento das tecnologias vestíveis seriam maiores e melhores. “Nós estamos a ponto de ter produtos que se dobram e que sejam flexíveis,” disse. “Por três ou quatro anos, eu tenho falado sobre telas LED orgânicas que podem ser, teoricamente, impressas em plástico, enroladas e dobradas”.

Mesmo desejando que as empresas sejam parceiras, Wozniak sabe que um acordo desse tipo é improvável. “Eu não sei. Se eu estivesse lá, talvez isso acontecesse. Posso estar errado, mas há muita coisa que eu não conheço, principalmente sobre os interesses de negócios, e algo que deve ser lembrado é que uma empresa sempre tem que fazer dinheiro”.

Em contrapartida às declarações de Wozniak, Stuart Miles, fundador do site de tecnologia Pocket-lint disse: “Seus comentários não são influenciáveis. Ele foi um fundador da Apple e caiu fora, e os fãs o amam. Ele é livre para dizer o que ele quiser. [...] Eu não acho que ele tenha qualquer conhecimento ou influência sobre o funcionamento interno ou sobre como a Apple trabalha. No entanto, ele é um contador de histórias fascinante”.