Steve Ballmer, CEO da Microsoft, anuncia aposentadoria para os próximos 12 meses

Por Redação | 23.08.2013 às 11:34 - atualizado em 23.08.2013 às 13:00

Steve Ballmer, atual CEO da Microsoft, anunciou na manhã desta sexta-feira (23) que deve se aposentar em algum momento ao longo dos próximos doze meses, dependendo do tempo que a empresa levar para escolher um substituto para seu cargo.

"Nós embarcamos em uma nova estratégia com uma nova organização e temos um time de liderança sênior incrível. Meus primeiros pensamentos sobre o momento de minha aposentadoria surgiram no meio da transformação de nossa companhia em uma empresa de dispositivos e serviços. Precisamos de um CEO que estará aqui a longo prazo para seguir nesta nova direção", afirmou em comunicado oficial.

O anúncio da aposentadoria de Ballmer surge praticamente um mês após o executivo ter liderado uma grande reestruturação na companhia. A Microsoft afirmou que uma comissão para a escolha do novo presidente será formada, sob a liderança de John Thompson e com participação de Bill Gates, cofundador e ex-CEO da empresa. A comissão terá doze meses para tomar sua decisão. Enquanto isso, Steve Ballmer continua no cargo.

Segundo o Business Insider, durante o período de treze anos que esteve no comando da empresa, o valor do inventário da Microsoft caiu cerca de 40%. Após o anúncio da saída de Ballmer, as ações da empresa subiram quase 8% na NASDAQ, sendo negociadas a US$ 35 (R$ 84) cada.

Carreira

Ballmer iniciou sua trajetória na Microsoft nos anos 1980 e assumiu o posto de CEO da companhia em 2000, quando Bill Gates decidiu deixar o cargo e concentrar suas atenções e esforços em sua fundação. O executivo ficou bastante conhecido por suas apresentações sempre repletas de bom humor e entusiasmo, bem como por alguns comentários polêmicos, como um envolvendo uma crítica ao iPhone, em 2007.

Durante sua gestão, a Microsoft lançou novos produtos como o buscador Bing, o console Xbox e o Kinect, adquiriu o Skype, desenvolveu a plataforma móvel Windows Phone e novas versões do Windows. Segundo o CNET, o executivo foi bastante elogiado pelo sucesso do Xbox e do Office 365, mas também criticado pelos acionistas pelas fracas vendas iniciais do Windows 7 e por uma queda de 2% nas vendas da divisão Windows e Windows Live.

O aumento da demanda por smartphones e tablets no mercado mundial comprometeu os rendimentos da Microsoft no mercado de PCs nos últimos anos. Em 2012, a empresa lançou o Windows 8 em uma tentativa de fazer uma ponte entre os computadores pessoais e os aparelhos touchscreen, no entanto, o SO não foi recebido tão bem no mercado mundial, e não conseguiu reanimar a indústria de PCs.

Junto com o Windows 8, a companhia lançou seu primeiro dispositivo de hardware com os tablets Surface. O desempenho comercial muito abaixo do esperado do Surface RT fez com que a empresa reduzisse recentemente seu preço, e a manobra gerou a perda de US$ 900 milhões (R$ 2,1 bilhões) para a empresa.

Neste ano, Steve Ballmer anunciou uma reorganização da companhia, com ênfase na nova estratégia focada também em aparelhos e serviços, e não apenas em software. "Estamos nos reunindo atrás de uma única estratégia como uma companhia - e não um conjunto de estratégias por divisão", anunciou o executivo em e-mail enviado aos funcionários. "Nós iremos entregar vários dispositivos e serviços para executar e monetizar a estratégia, e a estratégia de núcleo único vai nos conduzir para definir objetivos comuns para tudo o que fazemos. Vamos ver nossa linha de produtos de forma holística, e não como um conjunto de ilhas".

Mais recentemente, a Microsoft apresentou a nova versão do seu console, o Xbox One, que deve chegar a alguns mercados em novembro deste ano. Além disso, ainda sob o comando de Ballmer, a empresa irá lançar a primeira atualização para o Windows 8, com a versão 8.1, no dia 17 de outubro. Ela trará melhorias em sua interface, a volta do botão 'Iniciar' entre outras novidades.