Sony foi alvo de ataque hacker em fevereiro no Brasil

Por Redação | 12.12.2014 às 17:39

O ataque hacker que afetou a Sony Pictures Entertainment algumas semanas atrás e que ainda tem repercutido com a revelação do conteúdo de e-mails corporativos da empresa não foi o primeiro este ano, afirma a Gawker. O site recebeu e-mails vazados de fevereiro, quando executivos do estúdio comentavam sobre uma invasão ocorrida no Brasil.

Dois e-mails enviados à vice-presidente de assuntos jurídicos da Sony, Courtney Schaberg, datados de 12 de fevereiro, alertam colegas sobre a invasão, que só foi possível devido ao uso de duas contas corporativas externas. O e-mail afirma a partir de uma via não autorizada era possível que tivesse sido instalado um malware no sistema. No ataque, os invasores tiveram acesso a arquivos corporativos do Brasil.

Os arquivos estavam hospedados em uma rede corporativa chamada SpiritWORLD, usada pela Sony no mundo inteiro e pela qual acontece a transferência de aquivos de 23 países. Entre os assuntos tratados via rede corporativa estavam relatórios de desempenho, materiais de divulgação, dados fiscais e outras informações relevantes sobre o estúdio.

Sony Brasil

Essa primeira invasão que afetou a Sony no Brasil pode explicar como, na invasão mais recente, foi divulgada uma grande quantidade de documentos sobre o Brasil e escritos em português que foram encontrados com pastas vazadas sobre o mercado norte-americano.

Quando houve a invasão à Sony no Brasil, a empresa optou por não informar o ocorrido nem às autoridades brasileiras, uma vez que a legislação do país não obriga que esses casos sejam informados, nem à imprensa e funcionários em geral. Schaberg orientou em um dos e-mails que o caso fosse mantido em sigilo. “Eu recomendo não oferecer qualquer notificação aos indivíduos [afetados pelo vazamento] dado: a) a falta da exigência de notificação; b) os campos de dados limitados envolvidos; e c) o fato de que a notificação provavelmente não teria muito efeito em termos de mitigar os danos potenciais”, escreveu.

Com a revelação de que a Sony foi alvo de um ataque no início do ano, o envolvimento da Coreia do Norte no último ataque é ainda mais questionado. Segundo as informações, o ataque teria sido motivado pelo filme “A Entrevista”, no qual o líder norte-coreano Kin Jong Un é assassinado. No entanto, o filme só foi revelado em junho. Também não é possível saber se o primeiro ataque à Sony foi realizado pelo grupo hacker Guardiões da Paz, que assumiu a autoria da última invasão.

As revelações fizeram a Sony ser alvo de críticas por ter omitido o primeiro ataque. Segundo alguns, a empresa fez pouco caso da primeira invasão e, ao não avisar autoridades, funcionários ou mesmo a mídia abriram espaço para que o problema acontecesse novamente.

Fonte: http://gawker.com/sony-was-hacked-in-february-and-chose-to-stay-silent-1670025366