Setor de TI: crescimento deve ser potencializado por soluções empresariais

Por Colaborador externo | 28.01.2015 às 20:49
photo_camera HR Tech News

Por Adão Lopes*

O ano de 2015 promete ser um dos mais desafiadores para o Brasil. Depois de um curto período de crescimento, nossa economia voltou a estagnar. A realização da Copa e as eleições fizeram com que 2014 fosse um ano de incertezas, como se tudo estivesse suspenso. Agora, chegou a hora da verdade.

Felizmente, para o setor de TI, a projeção é positiva. Estima-se que o crescimento nessa área seja de 2,4% frente ao ano anterior, chegando à marca de US$ 3,8 trilhões, segundo dados do Gartner, instituto especializado em pesquisa e consultoria. Para um ano onde a grande maioria dos setores espera estagnação ou mesmo retração, o dado é um tanto quanto positivo.

Boa parte da perspectiva positiva deve-se ao fato de que alguns setores são beneficiados pelos momentos de incerteza econômica. É possível que o segmento de TI como um todo seja um deles. Isso porque, em meio às dificuldades econômicas, as empresas precisam buscar maneiras de reduzir seus custos e otimizar suas operações. A tecnologia, sem dúvida, é uma grande aliada.

Não é à toa que só o mercado de softwares corporativos deve atingir um montante de US$ 335 bilhões, registrando um crescimento de 5,5% em relação a 2014. A previsão demonstra uma forte tendência em buscar novas soluções de TI para resolver antigos problemas de gestão.

Um bom exemplo disso é a questão da digitalização de documentos. Muitas empresas precisam ter funcionários específicos apenas para a função burocrática de armazenar e guardar papéis. Além do custo que isso gera para a empresa, há ainda uma questão de espaço físico. Perde-se salas e mais salas simplesmente para empilhar caixas. Hoje, a tecnologia já permite a digitalização de documentos, eliminando totalmente a necessidade do papel. Os arquivos podem ser armazenados em cofres digitais, em formato XML, e acessados de qualquer dispositivo móvel.

Outra área que requer muita atenção, e a tecnologia pode ajudar, é a de emissão e gestão de notas fiscais. No Brasil, todas as empresas têm por lei a obrigação de armazenar as notas fiscais emitidas por um prazo de cinco anos. Para fazer isso de forma simples e que não onere excessivamente a organização, nada melhor do que contar com um software que tenha essa finalidade. Por um valor fixo mensal, a empresa organiza toda a área, ficando tranquila para auditorias ou qualquer outro problema com as autoridades fiscais.

Esses e muitos outros exemplos mostram que a busca por tecnologia nas empresas, independentemente de porte ou segmento, é um caminho sem volta. A informatização dos processos deve ser uma forte aliada da gestão, reduzindo custos e aumentando controles. Sem dúvida, uma área de que deve continuar crescendo muito nesse e nos próximos anos.

*Adão Lopes é mestre em tecnologia e negócios eletrônicos e CEO da VARITUS BRASIL.