Será que estou sendo monitorado nas redes sociais?

Por Colaborador externo | 01.12.2014 às 19:42

por Ednilson Gomes dos Santos*

Não é incomum as pessoas se considerarem ou terem uma sensação de invisibilidade na web, imaginando que seu conteúdo é visto apenas por quem está próximo. Na realidade, não é bem assim que tudo funciona e isso pode causar problemas se o seu objetivo for desenvolver uma carreira sólida.

Diversas consultorias espalhadas pelo mundo falam abertamente sobre seus métodos de avaliação de profissionais através de perfis em redes sociais. Mas, se você é um profissional atualizado e ligado no que está acontecendo no mundo digital, já sabe disso há alguns anos.

Desde os tempos de Orkut, as empresas procuram avaliar seus candidatos de uma forma um tanto quanto invasiva – porém, bastante efetiva. Algo muito comum da rede social Orkut eram grupos como “Odeio acordar cedo”, “Odeio o meu chefe”, “Odeio trabalhar”, entre outros, o que dava insumos para os recrutadores eliminarem muitos candidatos com base no perfil traçado.

Atualmente, com a saída do Orkut do cenário de redes sociais, as comunidades deram lugar a grupos mais relevantes, com discussões técnicas e conceituais referentes às suas funções e habilidades. Embora não se tenham excluído completamente grupos altamente irrelevantes, o foco das pesquisas de recrutadores foi alterado e aprofundado. As avaliações são baseadas nas opiniões dos candidatos em relação a diversos assuntos e até mesmo no modo como se relacionam com outras pessoas nas redes. Segundo matéria publicada pelo NY Times, startups já estão operando na pesquisa de perfis e entregando os relatórios sobre os candidatos para os recursos humanos das empresas.

Existem ainda casos extremos em que o recrutador pode solicitar que o candidato mostre seu perfil no Facebook (o que não é considerado uma prática legal), caso a rede tenha sido configurada para visualização restrita a amigos e familiares. Porém, essa prática é aceita por aqueles candidatos muito interessados na vaga e com um perfil bastante “confiável”.

De qualquer maneira, cabe aos profissionais, seja em início de carreira, em fase de crescimento profissional ou mesmo em transição, cuidar bem de seus perfis nas redes sociais de modo a procurar não gerar situações em que o recrutador possa eliminá-lo de uma primeira entrevista ou no meio de um processo seletivo.

*Ednilson Gomes dos Santos é Social Media no Grupo Impacta Tecnologia.