Será que a Apple poderia abandonar o "i" para sempre dos seus produtos?

Por Redação | 12 de Setembro de 2014 às 11h15

Acostumamos-nos desde 1998 a ver nos produtos da Apple o mesmo "i" no início do nome de seus produtos. No entanto, com a chegada do Apple Watch e do Apple Pay, a empresa poder estar mudando o rumo da nomenclatura de seus produtos para o futuro.

Ken Segall, ex-funcionário da Apple, responsável por dar início à tradição da inicial "i" com o iMac original, disse em entrevista ao Cult of Mac que ficou surpreso com a mudança na nomenclatura para as novas categorias de produtos.

"Há muito debate dentro da Apple sobre o 'i'", afirmou. "Para alguns, o seu tempo já foi deixado para trás, mas dada a força desse elemento de branding, foi difícil se afastar".

Como explica Segall, quando ele apareceu pela primeira vez com o nome iMac, o "i" significava "Internet", embora ele também possa significar "imaginação", "indivíduo", "inspirar" e "instruir". Antes do ex-funcionário ter sugerido o nome, Steve Jobs tinha planejado nomear o produto de MacMan.

A inicial "i" sempre foi um tanto problemática para a Apple, visto que outras empresas já estavam utilizando esse padrão na nomenclatura de seus serviços e produtos. Uma empresa israelense chamada Infogear registrou o nome iPhone em 1996, mais de uma década antes da Apple lançar o smartphone mais popular do mundo. A Infogear foi posteriormente adquirida pela Cisco, que ameaçava litígio quando a Apple revelou o seu iPhone. O caso, entretanto, foi resolvido fora do tribunal.

Com a marca "i" saindo de cena, Segall vê o valor da Apple utilizar seu próprio nome para vender os seus produtos daqui em diante, visto se tratar de uma das marcas mais valiosas do mundo.

"Faz sentido que a Apple queira mudar para algo que não possa ser roubado e realmente destaque a marca mais diretamente", diz ele. "O uso do logotipo no Apple Watch é muito legal."

Sobre os créditos na nomenclatura de outros produtos que vieram depois do iMac, o ex-funcionário da Maçã observa que sua "contribuição foi no primeiro 'i', visto que acreditávamos que aquilo tinha valor como base para uma nomeação futura. Nós rapidamente aplicamos o 'i' no iBook, iMovie, iPhoto, etc.".

"Para ser honesto, nenhum de nós - incluindo Steve Jobs - estava pensando no futuro em um momento em que a Apple iria entrar em um mix de eletrônicos para consumo. Tudo aconteceu de maneira muito orgânica, um passo de cada vez. Ninguém consegue qualquer tipo de crédito para essas coisas, e nem devem, mas a história está lá se alguém se importa em olhar", concluiu Segall.

Fonte: http://www.cultofmac.com/295556/apple-might-kill-forever/

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.