Segurança: Apple está coletando informações do usuário no Yosemite

Por Redação | 21 de Outubro de 2014 às 11h25
Tudo sobre

Apple

A Apple começou a coletar dados de qualquer termo digitado na barra de endereços do seu navegador web Safari. Segundo vários especialistas, a atualização começou a ser distribuída na última quinta-feira (16). Além disso, a Maçã está coletando a localização de usuários que realizam uma busca, bem como as consultas na função de pesquisa "Spotlight" no OS X Yosemite.

Os usuários do Yosemite analisaram neste fim de semana e concluíram que a Apple captura qualquer pesquisa feita através da barra de endereços do Safari independente de qual provedor de busca o usuário está utilizando. A Maçã também registra todas as pesquisas do Spotlight, seja os resultados que aparecem da web ou do próprio Mac do usuário. Informações sobre a localização do usuário também são enviadas aos servidores da Apple, exigindo que aqueles que não desejam compartilhar essa informação desabilite a função tanto no Safari quanto no Spotlight.

Segundo o Dr. Ben Edelman, professor associado da Harvard Business School, os novos métodos de coleta de dados adotados pela Apple não são realizados com o consentimento claro de seus usuários. Ao International Business Times, ele disse que a forma de avisar os usuários sobre as novas políticas de privacidade e divulgação de dados não está em sintonia com o que a Apple recentemente disse aos seus usuários.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

"A ideia de que [o Safari] iria coletar esses dados, não importa qual seja o seu mecanismo de pesquisa padrão, é particularmente irônico diante dos recentes comentários da Apple sobre a privacidade dos usuários", disse Edelman. "Estas ações parecem particularmente incongruentes".

Tim Cook

Contudo, existe discordâncias sobre o fato da Apple revelar de maneira clara suas políticas de privacidade a este respeito. A empresa publicou, de maneira transparente, em seu site, por exemplo, a atualização dos termos de segurança do iOS 8. Também, sobre os dados coletados pela empresa por meio do sistema móvel e através do OS X, a Apple colocou nos termos de maneira clara e compreensível explicando a maneira como colhe e utiliza as informações.

"Quando você usa o Spotlight, suas consultas de pesquisa, sugestões e os dados de uso relacionados serão enviados para a Apple. Resultados da pesquisa encontrados no seu Mac não serão enviados. Se você tiver o Serviço de Localização ligado no seu Mac, quando você faz uma pesquisa no Spotlight a localização do seu Mac será enviada para a Apple", informa uma parte dos termos de serviço.

Representada pelo seu CEO Tim Cook, a Apple veio a público recentemente para mostrar que respeita a privacidade de seus usuários e ativou uma criptografia em seus mais recentes aparelhos iPhone e iPad. A necessidade de uma melhoria na segurança e na proteção dos dados aconteceu devido a série de fotos vazadas de celebridades nuas que tiveram suas contas do iCloud hackeadas.

Cook afirmou que a empresa possui políticas rígidas que regem a maneira com que os dados dos usuários são usados. Também, deixou claro que a Apple pediria com clareza a permissão dos usuários para utilizar os dados deles e afirmou que eles poderiam pedir para parar de compartilhar suas informações de maneira mais fácil.

Para o Dr. Eric Burger, professor de ciências da computação da Universidade de Georgetown, os usuários não irão conseguir entender como as coletas de dados estão sendo feitas e nem como desativar essa função. Para ele, à medida que as empresas de tecnologia reconhecem a importância do valor das informações sobre seus usuários, elas irão cada vez mais procurar melhorar a forma com que adquirem esses dados para aprimorar seus produtos, serviços e propagandas. "Isso não é fora do comum, mas não significa que esteja certo", afirmou Burger.

No entanto, o Dr. Burger pode ter sido pessimista demais ao imaginar que os usuários não conseguirão desativar algumas funções de monitoramente de dados. No Spotlight, é facilmente possível desligar as configurações relacionadas ao envio de dados por meio do botão de configurações. O mesmo pode-se dizer sobre o envio da localização do usuário.

Spotlight

Spotlight ampliou sua pesquisa para a Internet com a ajuda do Bing

Especialistas afirmam que a fabricante do iPhone está tentando entrar no mercado de coleta de dados e torná-lo rentável, assim como o Google e outras empresas já fizeram e demonstraram ser possível. Porém, eles alegam que a forma como Cupertino está tentando entrar no segmento não é totalmente honesta e aberta para os seus usuários. "Essa informação é muito importante, já que a Apple está competindo com o Google em muitas frentes", analisou Dr. Kevin Du, cientista e professor da Universidade de Syracuse. "Essa é uma área onde eles podem fazer grandes negócios. Mas essa é a maneira errada de fazer".

Não é comum que os navegadores de web enviem informações de usuários quando eles utilizam diferentes provedores de busca. A única vez que informações de uma pesquisa destinada ao Google ou ao Bing foram enviadas para terceiros aconteceu quando navegadores foram infectados por spywares, afirmou o Dr. Du. Por outro lado, a Apple afirma claramente que tem trabalhado em parceria com a Microsoft para "proteger a privacidade dos usuários". Além disso, a empresa garantiu que apenas os termos de busca mais comuns é que são enviados e nenhuma das empresas armazena quaisquer termos ou endereços IPs.

Para quem concorda com os especialistas e deseja utilizar outro navegador no OS X Yosemite, há opções como o Mozilla Firefox, que afirmou em comunicado que "não envia automaticamente informações de consultas de pesquisa".

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.