Se o Facebook pode lucrar com seus dados, por que você também não pode?

Por Redação | 05.08.2013 às 06:15

Atualmente, é comum que os serviços online gratuitos usem os dados pessoais gerados por seus usuários para ganhar dinheiro e prosperar. Não se espante, pois isso acontece com muito mais frequência do que você pode imaginar. Facebook, Google e Linkedin, por exemplo, usam as preferências e interesses de seus usuários para oferecer-lhes anúncios patrocinados, ou então fazem algum tipo de acordo para compartilhar os dados coletados com outras empresas.

Mas a pergunta que fica no ar é: se eles podem lucrar com seus dados, por que você também não pode? Até o final deste ano é provável que você possa, sim. Michael Fertik, cofundador e CEO da startup Reputation.com, disse ao TechnologyReview que sua empresa vai lançar um recurso que permite aos usuários compartilhar certas informações pessoais com outras empresas, em troca de descontos ou outras vantagens. Ao permitir que as companhias aéreas acessem informações sobre sua renda, por exemplo, elas poderão oferecer alguns pontos de fidelidade para serem usados em seu próximo voo.

A prática ainda divide opiniões, mas os defensores da ideia alegam que os usuários têm todo o direito de saber exatamente quais informações pessoais suas estão sendo recolhidas e repassadas para quais empresas – e, porque não, obter vantagens com isso. Atualmente, empresas como o Facebook possuem políticas claras que explicam como os dados de seus usuários são utilizados, mas muitas vezes o assunto ainda soa um tanto sombrio e anuviado para a maior parte deles.

Fato é que os dados pessoais dos usuários, bem como seus hábitos e comportamentos online, são extremamente valiosos no mundo da publicidade digital. E, de acordo com resultados de uma pesquisa recente, podemos dizer que esse novo mercado de benefícios em troca de dados pessoais interessa o público brasileiro.

A pesquisa foi realizada globalmente em abril pela Coleman Parkes com 3.900 consumidores, e mostrou que os brasileiros estão enxergando valor no compartilhamento de informações pessoais. Isso quer dizer que eles estão dispostos a compartilhar muitos de seus dados, desde que recebam em troca melhores serviços e/ou recompensas.

Entre os principais incentivos que motivam consumidores a fornecer dados pessoais, no caso de operadoras de telefonia, estão planos mais baratos (65%), maior velocidade da rede (61%), atendimento prioritário (54%) e planos compartilhados por vários dispositivos (50%). Recompensas em dinheiro (44%) foram as mais valorizadas, juntamente com recompensas em programas de fidelidade (38%), cupons e ofertas exclusivas (39%). Um terço (36%) dos clientes aceitaria divulgar suas informações de graça.

Saiba mais: O Facebook sabe muito mais a seu respeito do que você imagina