Samsung é acusada de utilizar trabalho infantil em sua produção

Por Redação | 08 de Agosto de 2012 às 14h35
Tudo sobre

Samsung

As fábricas onde são montados os DVD players e telefones celulares da Samsung estão repletas de abusos de direitos trabalhistas, relatou um vigilante de trabalho chinês.

De acordo com a CNET, em um relatório divulgado hoje, a HEG Electronics supostamente emprega menores de 16 anos de idade e obriga funcionários da fábrica a trabalhar em jornadas excessivamente longas.

"A empresa violou claramente as leis trabalhistas chinesas", disse o vigilante da China Labor Watch ao Bloomberg. "É necessário que estas questões estejam em foco".

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

De acordo com o relatório da China Labor Watch, que é baseado no trabalho de um investigador que trabalhava a paisana na HEG Electronics, o trabalho infantil é predominante na fábrica e as crianças enfrentam as mesmas duras condições de trabalho que os adultos, porém, recebem menos. Todos os 2.000 funcionários são obrigados a trabalhar entre 11 e 13 horas por dia e só existe uma pausa de 40 minutos para comer. E no topo da lista do relatório, está um item que classifica as condições de refeições e dormitório dos trabalhadores como "terríveis".

"A Samsung Electronics realizou duas inspeções sobre as condições de trabalho na HEG este ano, mas não encontrou nenhuma irregularidade nestas ocasiões", disse o porta-voz da empresa Nam Ki Yung. "Dado o relatório, nós iremos realizar outra pesquisa de campo o mais rápido possível para garantir que nossas inspeções anteriores foram baseadas em informações completas, e para tomar as medidas necessárias para corrigir quaisquer problemas que podem surgir".

O relatório sobre as condições de trabalho na Samsung veio depois de uma análise das condições de trabalho na Foxconn, fábrica responsável por montar gadgets da Apple, como iPhones e iPads. O inspetor acusou a Foxconn de oferecer condições de trabalho abismais e relatou que vários trabalhadores cometeram suicídio. Na Foxconn, as pessoas também trabalhavam em jornadas excessivas e recebiam muito pouco. A Foxconn entrou em um acordo com a Fair Labor Association para reduzir a jornada de trabalho e aumentar o salário de seus funcionários.

De acordo com o novo relatório da China Labor Watch sobre a HEG Electronics, as condições de trabalho estão muito abaixo das da Foxconn.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.