Samsung espera recuperação nos lucros no terceiro trimestre

Por Redação | 08.07.2014 às 16:07

Após um primeiro semestre bem difícil, a Samsung está confiante que o terceiro trimestre de 2014 trará recuperação nas vendas e nos ganhos em todo o mundo. Para a empresa, a demanda pelos novos aparelhos, bem como pedidos de fornecimento de telas fabricadas por ela, devem melhorar os resultados.

O principal território onde essa recuperação deve acontecer é a China, mercado no qual a empresa vê um grande crescimento na demanda de celulares com acesso às redes 4G. Para a Samsung, sua linha de aparelhos que utilizam esse tipo de tecnologia deve ser suficiente para combater a competição da Apple e seus recém-chegados iPhones, bem como o avanço cada vez maior da Lenovo com sua oferta de smartphones de baixo custo.

Mas, mais do que isso, a sazonalidade do mercado é uma das grandes razões para a redução no segundo trimestre de 2014. Segundo a empresa, o período entre abril e junho é tradicionalmente fraco no mercado asiático, o que resulta em quedas nas vendas não apenas da Samsung, mas também de outras empresas do ramo de tecnologia. Agora, a tendência é que as vendas voltem a aumentar e, com esse reaquecimento do mercado, vem também números mais favoráveis.

A fabricante coreana sabe que isso não será tarefa fácil, mas confia em seu foco nos dispositivos com telas maiores do que cinco polegadas para se diferenciar da concorrência. Entre um dos principais expoentes dessa pegada diferente está o Samsung Galaxy S5, o mais recente lançamento de topo de linha da marca que, apesar de bastante comentado, parece não estar tendo o desempenho esperado nas prateleiras.

A notícia foi suficiente para garantir uma leve alta de 0,2% nas ações da Samsung, em comparação com as quedas que chegaram a até 5% enquanto a empresa divulgava seus relatórios financeiros negativos. A tendência de queda, segundo a Bloomberg, começou no final do ano passado e marcou a primeira redução nos papeis da fabricante desde 2008.

Tempos difíceis

Para o analista Marcello Ahn, da Quad Investiment Management, as coisas não serão nada simples para a Samsung. Duvidando até mesmo da perspectiva positiva fixada pela empresa, ele disse que a chegada do iPhone 6, com sua tela maior, e a melhoria nos processos de produção da Lenovo serão grandes fatores em um mercado cada vez mais competitivo para a companhia sul-coreana.

De um lado, está a Apple e seu principal objeto de desejo, que agora deve agradar a um novo público com uma suposta tela maior. A chegada de um iPhone com display de 5,5 polegadas deve incomodar bastante a Samsung e acabar com uma das principais críticas aos aparelhos da Maçã, que colocavam dispositivos como o Galaxy e outros em posição de vantagem.

Do outro, está a Lenovo, cada vez mais agressiva em seus trabalhos para distanciar-se do negócio de PCs e invadir o mercado de smartphones. A empresa tem aprimorado sua relação com fornecedores e as próprias plantas de fabricação, de forma a garantir um funcionamento com menos custos, resultando em uma redução no preço dos aparelhos. Celulares de baixo padrão podem não gerar grandes ganhos, mas contam bastante para o total de vendas e, nesse sentido, seria a Samsung a principal afetada pela melhora nos processos da rival.

Por outro lado, Ahn cita um fator alheio à Samsung como um grande aliado na recuperação dos números: a alta do won. A moeda coreana tem se valorizado cerca de 5,2% em relação ao dólar e, assim, garantir números mais expressivos para a Samsung. Além disso, a Copa do Mundo deve aquecer o setor de televisores e também contribuir significativamente para os resultados positivos esperados pela companhia.