Samsung deve focar em smartphones baratos para recuperar números

Por Redação | 30.10.2014 às 12:52

Uma decisão que parece estar indo na contramão do mercado foi anunciada pela Samsung como a primeira resposta aos resultados financeiros abaixo do esperado registrados no terceiro trimestre de 2014. Diante de uma queda de 50% em seus lucros, a fabricante coreana afirmou que pretende focar ainda mais nos smartphones de baixo custo daqui em diante, principalmente em mercados asiáticos.

As palavras são de Kim Hyun-joon, diretor do setor mobile da companhia. Para ele, a concorrência com empresas chinesas que já são capazes de construir celulares de baixíssimo preço foi um dos principais fatores para minar os resultados da Samsung. Agora, é hora de investir como nunca nesse setor e, mais do que isso, diferenciá-lo de forma mais clara dos aparelhos de alto valor e com funcionalidades avançadas.

Em um ano, a fabricante viu seu market share cair de 32,5% para 23,8%, diante justamente destas empresas chinesas. A concorrência com LG, Apple e outras companhias também foi citada como um fator, mas o grande susto mesmo veio com a aparição da asiática Xiaomi no terceiro lugar do território, atrás apenas da Apple.

No período, a Samsung teve um lucro de ₩ 4,2 trilhões, um valor equivalente a US$ 4 bilhões. O valor é bem menor que os ₩ 8,2 trilhões registrados entre julho e setembro de 2013. O faturamento total foi de ₩ 47,4 trilhões, um valor também em baixa que equivale a cerca de US$ 45,2 bilhões. 201 milhões de smartphones e 10 milhões de tablets foram vendidos no período.

Problemas no futuro?

Analistas citados pela PC World citam também o acúmulo de unidades dos aparelhos da linha Galaxy em lojas ao redor do mundo. De acordo com dados não-oficiais, mais de 40 milhões de dispositivos do tipo teriam sido enviados para lojas de todo o mundo e ainda não vendidos, um total que indica a forte concorrência, mas mais do que isso, um interesse crescente dos consumidores por dispositivos de outras marcas.

Levando em conta a perspectiva iminente de saturação no mercado mobile, a iniciativa da Samsung de focar nos segmentos onde ela realmente faz sucesso é positiva. Ainda assim, a companhia vai precisar ter flexibilidade para se adequar à direção em que sopra o vento e colocar no mercado, rapidamente, celulares com as funções mais pedidas por seus potenciais clientes.

É justamente aqui que entra um trabalho mais apurado para reduzir o custo de smartphones de entrada e um foco em telas curvas e de alta definição para os aparelhos de alto padrão. É isso que explica, também, o lançamento de versões customizadas de alguns de seus principais modelos, como a Developer Edition do Samsung Galaxy S5.

Por outro lado, boas notícias foram registradas pelo setor de semicondutores da companhia, que viu suas vendas de chips crescerem 24% no terceiro trimestre de 2014. Foram ₩ 7,9 trilhões acumulados, cerca de US$ 7,5 bilhões. É justamente pensando nisso que a Samsung já anunciou um investimento de US$ 15 bilhões na construção de uma nova fábrica de componentes na cidade de Pyeongtaek, ao sul da capital Seul.