Samsung ainda tem problemas com condições de trabalho em fornecedores chineses

Por Redação | 03.07.2014 às 10:10

A falta de condições de trabalho em plantas de fabricação chinesa é assunto amplamente discutido, mas é bastante incomum ver uma companhia indicando problemas em sua própria linha de produção. Só que foi exatamente isso que a Samsung fez em seu novo relatório de sustentabilidade, afirmando que 59 dos 100 fornecedores de peças para equipamentos da marca falham em cumprir normas de segurança básicas.

São fábricas que produzem componentes e utilizam maquinário pesado, e que não entregam a seus funcionários itens como protetores auriculares, capacetes ou óculos de proteção. Muitas, mesmo disponibilizando esse tipo de material, falham em verificar que os funcionários os estão efetivamente usando, deixando a segurança de seus trabalhadores em segundo plano.

Além disso, o relatório da Samsung cita a ausência de planos de evacuação em diversos de seus parceiros de fabricação, bem como de trabalhadores que desconhecem completamente as normas de segurança exigidas no trabalho que realizam. O resultado é um panorama de muito do que está errado nas plantas de fabricação chinesa, situações que passam longe dos olhos dos usuários de tecnologia ocidentais.

Mais do que isso, a fabricante coreana cita também que alguns de seus fornecedores não cumprem as normas trabalhistas dos países em que estão sediados. O problema acontece principalmente no gerenciamento de horas extras, com funcionários trabalhando além do expediente normal sem receber nada por isso ou, então, tendo jornadas de trabalho sem intervalos e acima do limite permitido.

De acordo com a Samsung, falando ao The Wall Street Journal, todos os problemas apontados no relatório de sustentabilidade serão abordados com os fornecedores ao longo dos próximos meses. A empresa lembrou também um compromisso firmado em 2012, que prevê o combate contra condições desumanas de trabalho e a promoção de um funcionamento melhor para a indústria chinesa.

Todos os fornecedores identificados com problemas terão um prazo definido para resolverem as questões. Caso isso não ocorra, a Samsung continuará a pressionar por mudanças e, em último caso, poderá cortar todos os laços com as companhias e buscar novos parceiros comerciais.