Rendimentos da Apple no trimestre ficam abaixo do esperado por investidores

Por Redação | 24 de Janeiro de 2013 às 12h03

A Apple anunciou nesta quarta-feira (23) os resultados para o primeiro trimestre fiscal de 2013, encerrado no dia 29 de dezembro, fechando com rendimentos na casa dos US$ 54,5 bilhões (R$ 110 bilhões) e lucro de US$ 13,1 bilhões (R$ 26,2 bilhões), ou US$ 13,81 (R$ 28) por ação.

"Estamos entusiasmados com a receita recorde de US$ 54 bilhões e a venda de mais de 75 milhões de dispositivos iOS em um único trimestre", afirmou o atual CEO da Apple, Tim Cook, como informou o The Next Web. "Estamos muito confiantes em nossa linha de produtos à medida que continuamos a apostar na inovação e na produção dos melhores produtos do mundo".

No entanto, mesmo com os altos rendimentos, os resultados da empresa ficaram abaixo do previsto por analistas e investidores.

No mesmo período de 2012, a companhia registrou receita de US$ 46,3 bilhões (R$ 94 bilhões) e lucro de US$ 13,1 bilhões (R$ 26,6 bilhões) - o crescimento em um ano foi de 38,6% na receita. E no primeiro trimestre de 2013, a empresa vendeu 47,8 milhões de unidades de iPhones ao redor do mundo, abaixo da estimativa dos analistas de 50 milhões de unidades.

As vendas de iPads registraram alta de 33% em comparação ao ano anterior, fechando o período com 22,9 milhões de unidades vendidas - os analistas previram a venda de 24 milhões de unidades. Comparado com o mesmo período do ano anterior, a Apple teve queda de 22% nas vendas de Macs, com 4,1 milhões de unidades no primeiro trimestre de 2013, e as vendas do iPod também registraram queda de 18%, totalizando 12,7 milhões de unidades vendidas.

A Apple também apresentou suas estimativas de rendimentos para o segundo trimestre de 2013 que devem ficar em torno de US$ 41 bilhões e US$ 43 bilhões (R$ 83 bilhões e R$ 87 bilhões), devido ao período de início de ano e da redução na venda de eletrônicos.

Gráfico rendimentos Apple

Reprodução: Splatf

Repercussão dos resultados da Apple

Mesmo tendo obtido lucro recorde no primeiro trimestre de 2013, os analistas e investidores de Wall Street não consideraram os resultados da Apple muito positivos, e muitos até avaliaram o trimestre como uma verdadeira "catástrofe". O site Business Insider listou a opinião de algumas das principais empresas de análise sobre o futuro da Maçã.

"A fraca dinâmica para o segundo trimestre parece apoiar a nossa visão de que a Apple está entrando em uma fase de declínio, em que o crescimento virá cada vez mais às custas da diminuição da margem bruta. O efeito líquido está limitado ao crescimento dos lucros, os rendimentos por ação devem ficar na casa dos US$ 50 (R$ 101), o que deverá atrair um múltiplo um pouco melhor de outros colegas como Microsoft e Cisco", afirmou o Nomura Group.

Alguns analistas também defenderam que a Apple precisará lançar novos produtos para manter seu crescimento ao longo do ano, com muitas inovações tecnológicas. "Os resultados dos dois principais produtos da Apple sugerem que o iPhone e o iPad estão, agora, crescendo em linha com o mercado mundial de smartphones e tablets, ou seja, muito mais devagar do que as taxas de crescimento que vínhamos observando nos últimos anos", explicou a Soggen.

E a Jeffreys afirmou que está rebaixando suas previsões para a Apple por causa de alguns fatores: "1) desaceleração nas vendas do iPhone, 2) nós acreditamos que as margens tendem a continuar em queda, 3) nova orientação metodológica implica menos potencial de crescimento para o modelo. Cortamos nossas estimativas de US$ 800 (R$ 1.628) para US$ 500 (R$ 1.017) [por ação]".

As ações da Apple também registraram queda de 5% após o anúncio dos seus resultados no pregão de ontem (23), chegando a US$ 490 (R$ 997) no after market.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.