Relógio Moto 360 com sistema Android Wear deve custar US$ 249

Por Redação | 21.05.2014 às 17:38
photo_camera Divulgação

A tecnologia vestível está com tudo em 2014. Além do Samsung Galaxy Gear e Sony Smartwatch, já disponíveis no mercado, novos relógios e pulseiras inteligentes serão lançados para aumentar o número de dispositivos nessa nova categoria. Um deles é o aguardado Moto 360, da Motorola, um dos primeiros gadgets equipados com o sistema operacional Android Wear.

Muito tem se comentado sobre a nova criação da empresa norte-americana, mas quanto será que vai custar para adquirir uma unidade? No que depender de um documento vazado da Motorola, o preço será bastante competitivo e menor do que o de outros aparelhos da concorrência. Segundo informações do Business Insider, o relógio será vendido por US$ 249, algo em torno dos R$ 540 na cotação atual (sem impostos). O valor colocaria o acessório na mesma faixa de preço do Pebble Steel e US$ 50 abaixo do Galaxy Gear 2, que custa US$ 299 nos Estados Unidos.

O Moto 360 é a grande aposta da Motorola no mercado de smartwatches. Diferente do formato quadrado da maioria dos outros relógios, o gadget possui um formato circular que lembra os modelos de antigamente. Ele virá com uma tela de 1,8 polegadas e terá resistência a água, pulseiras intercambiáveis (que podem ser trocadas), contando com suporte a qualquer smartphone Android que tenha a versão 4.3 Jelly Bean ou superior instalada e trará um recurso conhecido como orientação livre, que permite que o dono visualize o conteúdo do visor da forma que considerar melhor ou ajuste o relógio no pulso que preferir – a mudança ocorre automaticamente quando o relógio é posicionado na direção desejada.

De acordo com a companhia, o acessório possui apenas 46 mm de diâmetro e seu lançamento será no mundo todo até o final do ano. Será um dos primeiros dispositivos do mercado com o Android Wear, sistema operacional do Google voltado para tecnologias vestíveis, como relógios e pulseiras inteligentes. Além disso, a empresa optou por não colocar uma câmera fotográfica no aparelho porque não encontrou aplicações que justificassem o uso do recurso.

Recentemente, o CEO da Motorola, Rick Osterloh, confirmou que o Moto 360 chegará ao Brasil junto com o restante do mundo. O executivo também revelou que o gadget será vendido no país por um valor mais alto do que o recém-lançado Moto E (R$ 539 na configuração mais básica), mas que "não será um produto muito caro". Assim como a equipe por trás do desenvolvimento do 360, Osterloh acredita que os smartwatches vendidos atualmente "são horríveis e difíceis de usar", e é por isso que a Motorola aceitou o desafio de apresentar um produto simples, mas com muita utilidade.