Rastreabilidade: sistema permite que você saiba a origem de seus alimentos

Por Fernanda Morales | 05 de Dezembro de 2012 às 09h30
photo_camera PariPassu

Quando vamos ao supermercado costumamos escolher com muita atenção quais verduras, legumes e frutas vamos levar para casa. Nossa escolha está pautada exclusivamente no aspecto e na textura do alimento, mas como seria o nosso processo de compra se tivéssemos acesso a muitas outras informações sobre a batata, a cenoura, a maçã e até a carne?

Recentemente, a GS1 Brasil (Associação Brasileira de Automação) entrevistou consumidores brasileiros sobre o que eles mais buscam em um produto nos supermercados e 97,4% afirmaram que a qualidade e frescor das frutas e verduras é essencial em suas escolhas. E esse mesmo índice sobe para 98,3% dos consumidores quando o assunto é a escolha e compra das carnes.

A rastreabilidade pode ser a solução ideal para um consumo mais seguro e consciente no futuro. O processo consiste na capacidade de rastrear todas as informações sobre determinado alimento desde sua plantação até a chegada do produto nas prateleiras dos supermercados, feiras e sacolões.

Com informações mais precisas e primordiais sobre uma determinada cadeia de suprimentos, os consumidores terão mais qualidade na mesa e, claro, segurança ao efetuar suas compras. "Além disso, se você tem a capacidade de rastreabilidade, você consegue ter mais controle em casos de crise. Aquilo que nós sempre ouvimos que determinado produto está contaminado, como foi o caso do pepino da Espanha, na verdade o que estava contaminado era o broto de feijão. Com a rastreabilidade, você consegue determinar de onde provém o pepino e não irá punir uma cadeia inteira de suplementos por falta de informação", afirmou Flávia Costa, assessora de negócios da GS1 Brasil.

Supermercado compras

O processo de rastreabilidade pode trazer mais segurança aos consumidores

O processo de rastreamento dos produtos pode se dar de diversas formas, mas, com o avanço tecnológico, o uso dos QR Codes e dos códigos de barras tradicionais se tornaram a melhor opção para armazenar informações sobre alimentos. Ou seja, com um simples QR Code impresso na embalagem de leite, por exemplo, o consumidor que possui um smartphone e um aplicativo exclusivo poderá acessar os dados sobre a produção e evasão do leite através da internet, na tela do seu aparelho.

Mesmo não sendo uma tecnologia nova, os QR Codes (Códigos de Resposta Rápida) pertencem a uma grande família de códigos e têm despertado o interesse de muitas empresas devido às inúmeras possibilidades que podem agregar. O código composto por quadrados e pontos é capaz de armazenar uma URL (um endereço de uma página na internet) e, uma vez escaneado, direciona o usuário para uma página online com informações sobre os produtos.

Jantar Rastreado Prêmio Automação

Reprodução: TI Bahia

A GS1 Brasil, que promove anualmente o Prêmio de Automação, realizou a décima quinta edição da celebração no dia 12 de novembro e promoveu o primeiro jantar rastreado do mundo, em parceria com a PariPassu. "Como o prêmio é um grande momento de celebração, nós pensamos em introduzir os princípios da rastreabilidade de uma forma diferente para que as pessoas tenham interesse sobre o processo e também para saberem mais sobre os ingredientes que estão no seu prato", explicou a assessora de negócios.

Durante o evento, os convidados poderiam realizar o download de aplicativos que fazem a leitura de códigos QR em seus dispositivos móveis e ter acesso às informações de todos os ingredientes que compunham os pratos e até sobre os vinhos. Os códigos estavam impressos nos cardápios ao lado de cada um dos pratos, facilitando aos clientes saberem mais sobre os produtos que iriam comer.

"Primeiro foi escolhido um cardápio e, a partir desse cardápio, as pessoas que estão ligadas ao projeto foram em busca das informações sobre quais eram os ingredientes de cada prato e de onde vinham. Tivemos, por exemplo, a entrada e no código dessa entrada, os convidados podiam encontrar informações dos ingredientes e até um pouco da história do produtor. E nós também tivemos a opção de visualizar mapas da localização dos produtores e fazendas com a ajuda do Google Maps", disse Flávia.

As empresas obtiveram o máximo de informações possíveis sobre cada alimento e todas foram disponibilizadas em um site exclusivo do evento. Além disso, as pessoas que ficaram responsáveis por coletar as informações afirmaram que todo o processo foi muito inusitado para as pessoas que fornecem os alimentos, com alguns dos produtores duvidando da utilização das informações.

Outro aspecto positivo do emprego da rastreabilidade é a questão da sustentabilidade. Hoje, nos importamos muito com a emissão de gás carbônico na atmosfera terrestre e o aumento do aquecimento global. Com a rastreabilidade, podemos ter informações sobre o trajeto e quantos quilômetros foram percorridos até uma determinada mercadoria chegar ao supermercado e à nossa mesa.

"A técnica pode ajudar na questão da sustentabilidade, sim. Principalmente, porque hoje existe a lei dos produtos orgânicos que exige a rastreabilidade. Então, todo produtor orgânico deve ser facilmente rastreado, localizado, já que a produção orgânica não agride o meio ambiente", concluiu Flávia Costa.

Como estamos na era da informação e da interação, o processo de rastreabilidade se faz muito útil para a vida das milhares de pessoas do planeta. E acima de tudo, podendo rastrear tudo o que comemos e compramos, podemos ter uma vida mais saudável e segura daqui alguns anos.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.