Quip: suíte quer ser o Microsoft Office da era móvel

Por Redação | 11.11.2013 às 09:25

Quem usa aplicativos de produtividade (Word, Excel, Notes, entre outros) em dispositivos móveis, sabe que a experiência não é tão gratificante quanto em um PC, ainda mais quando precisar editar algo apenas com os teclados virtuais desses gadgets.

Mas uma nova empresa de startup, a Quip, quer mudar esse cenário e oferecer um pacote de aplicativos realmente preparados para os aparelhos móveis. Em uma entrevista dada ao site CNET, Bret Taylor, CEO da Quip, explica as suas metas.

“Nosso objetivo é criar um pacote de produtividade para a era mobile”, disse. “Meu cenário de sucesso para a empresa é fazer para os tablets e smarpthones o que o Microsoft Office fez para o PC. É ambicioso, mas é por isso que eu venho trabalhando todos os dias”.

Taylor não é um simples CEO de uma startup. Antes de fundar a sua empresa, ele foi co-criador do Google Maps e do Friend Feed, e também trabalhou três anos como CTO do Facebook. Além disso, a Quip recebeu US$ 15 milhões em investimentos para o desenvolvimento do pacote de aplicativos.

Para que o Quip seja um destaque no segmento, terá que enfrentar concorrentes grandes, como o Google Apps for Business, o Office 365 e o iWork, só para citar alguns. Um dos desafios que o Quip terá de enfrentar é o preço dos concorrentes. Hoje em dia, o pacote de aplicativos custa US$ 12 mensais por usuário para até 250 usuários (uma versão gratuita do aplicativo, sem ferramentas administrativas, está disponível para até cinco usuários). já o Google Apps custa US$ 50 anuais por usuário, o Office 365 sai por U$ 60 anuais para pequenas empresas e o iWork vem de graça nos novos sistemas da Apple.

Por enquanto, o único aplicativo disponível pela empresa é um processador de texto simples, desenvolvido do zero para uso móvel e colaborativo.

Quip Tela

De acordo com Taylor, a vantagem do Quip sobre os seus competidores é uma melhor interação entre os modos de uso on-line e off-line. Se o Quip perder a sua conexão, ele continua funcionando sem interrupção e automaticamente atualiza o usuário sobre notificações, edições e comentários, assim que a conexão é restabelecida. “Comunicação e colaboração em documentos é algo que falta em processadores de texto”, disse Taylor.

O pacote de aplicativos também conta com interação com os PCs. “O aspecto interessante do Quip é que ele é desenvolvido para funcionar em smartphones e tablets, além de PCs, e como muito dos produtos para esses dispositivos, ele contém notificações integradas, colaboração em tempo real e portabilidade de edição entre os aparelhos. Cerca de 40% dos usuários utilizam o Quip em vários dispositivos”, revelou.

O Quip foi lançado há três meses e, por enquanto, sua versão completa só está disponível para iOS. Para Android, ele funciona apenas como um leitor de documentos. Além disso, só está disponível em 10 idiomas.