Queda nas vendas do iPhone para o 2º tri pode ser uma das piores da história

Por Redação | 22 de Abril de 2013 às 12h52

Analistas de Wall Street não estão muito otimistas com os resultados de vendas da Apple para o segundo trimestre de 2013, reduzindo drasticamente as previsões de vendas do iPhone. E alguns especialistas mais pessimistas acreditam que a redução na venda do iPhone pode representar um dos piores colapsos do mercado de smartphones. É o que reporta o site BGR, enquanto a Bloomberg lembra que os resultados do primeiro trimestre da empresa, a serem divulgados amanhã, podem revelar a primeira retração dos últimos 10 anos.

As vendas da Apple no final do ano ficaram abaixo da estimativa dos analistas de 52 milhões de unidades, fechando com 47,8 milhões de gadgets comercializados. Além dessa baixa, os últimos meses não estão colaborando com a Maçã. As ações vêm registrando queda constante (pela primeira vez desde 2011, ultrapassaram a marca negativa de US$ 400) e rumores dão conta de que fornecedores asiáticos tiveram suas encomendas diminuídas pela fabricante do iPhone. Com isso, os analistas estimam que a empresa deverá vender no máximo 30 milhões de unidades no próximo trimestre. No entanto, os mais pessimistas acreditam que este número deverá chegar a somente 26 milhões. Se a estimativa de 26 milhões de unidades comercializadas se confirmar, o resultado indicará uma redução de 45% nas vendas em apenas seis meses.

Em contrapartida à baixa estimativa, a Maçã iniciou uma série de reduções no valor de alguns modelos do iPhone em diversos mercados, em uma tentativa de impulsionar a venda nesses países que são muitas vezes dominados por concorrentes como a Samsung. A estratégia elevou as vendas do iPhone na Índia e no Reino Unido, e três modelos do aparelho estão entre os seis smartphones mais vendidos na Grã-Bretanha. Os analistas ainda acreditam que as vendas do iPhone deverão registrar contração de 43% ao longo dos próximos seis meses, enquanto o mercado de smartphones se expande em ritmo acelerado.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.