Primeiro-ministro da Finlândia culpa Apple por crise financeira no país

Por Redação | 14.10.2014 às 16:45
photo_camera Divulgação

Não há dúvidas de que a Apple é uma das empresas mais lucrativas do mundo, além de ser uma das companhias mais respeitadas e admiradas em todo o planeta. Contudo, tanto sucesso pode comprometer o desenvolvimento de outras entidades, principalmente se forem do mercado de tecnologia. Esta é a conclusão do primeiro-ministro da Finlândia, Alexander Stubb, que culpa a gigante de Cupertino pelo declínio das indústrias do papel e dos smartphones em seu país.

As declarações foram feitas durante uma entrevista concedida à CNBC nesta segunda-feira (13). De acordo com Stubb, os setores de papel e telefonia móvel, citados pelo político como "dois campeões" finlandeses, foram aniquilados pelos produtos da Maçã e, consequentemente, causaram uma crise econômica no país nórdico.

O político cita como exemplos as companhias UPM-Kymmene e Stora Enso, as duas principais produtoras de papel da Europa. O segmento, um dos mais importantes para a economia da Finlândia, enfrenta uma forte crise devido ao aumento das vendas no número de tablets e leitores digitais, especialmente com a chegada dos primeiros modelos de iPad. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Florestal da Finlândia, a indústria de papel está em declínio constante desde o ano passado e o cenário não deve mudar em 2014.

Além do papel, o mercado de smartphones foi outro setor fortemente atingido pela Apple que, segundo o primeiro-ministro finlandês, teria causado a "queda" da Nokia. O político lembra que, durante a década de 1990 e começo dos anos 2000, a finlandesa foi líder mundial no ramo de telefonia móvel. Isso mudou poucos anos depois com a aparição do iPhone e de produtos de outras companhias, como a linha Galaxy da Samsung. O quadro se complicou ainda mais depois que a Nokia foi adquirida pela Microsoft, uma vez que cerca de mil empregos foram extintos na Finlândia.

"Acho que se poderia dizer que o iPhone matou a Nokia e o iPad matou a indústria finlandesa de papel. A indústria florestal está recuando em termos de bioenergia e outras coisas. Na verdade, uma nova Nokia surgiu em termos de [Nokia] Networks. Geralmente, quando se passa por tempos difíceis, é possível se pensar em mais inovação para o setor público. E nosso trabalho é criar uma plataforma para isso", comentou Stubb se referindo às mudanças causadas na época de lançamento do primeiro iPhone, na década de 2000.

Na última sexta-feira (10), a agência Standard & Poors rebaixou a classificação da dívida da Finlândia de AAA para AA+. Entre os motivos citados pela entidade estão o fraco desenvolvimento do país e a falta de expectativas para sair da crise.

Em julho deste ano, o premiê já havia culpado à Apple pela crise financeira enfrentada pela nação escandinava. "Sim, Steve Jobs levou nossos empregos. Tínhamos duas matrizes: um era a alta tecnologia, com a Nokia, e o outro era a indústria do papel", destacou o primeiro-ministro ao jornal econômico sueco Dagens Industri.