Pesquisa mostra que interesse dos CEOs pelo Brasil caiu nos últimos anos

Por Redação | 22.01.2015 às 12:48

A pesquisa anual com CEOs realizada pela PwC revelou que o Brasil está caindo na preferência dos líderes empresariais em todo o mundo. O estudo ouviu 1.322 CEOs, incluindo os maiores executivos globais.

De acordo com os números da pesquisa, 10% consideram o país como o mercado que apresenta mais oportunidades para a expansão dos seus negócios. No entanto, este número vem diminuindo com o passar dos anos. Em 2013, o índice era de 15%. Já no ano passado o número caiu para 12%.

A pesquisa mostrou que o Brasil ocupa a quinta posição na preferência dos CEOs, enquanto que no ano passado o país havia alcançado o terceiro posto. Apesar dos resultados não serem dos mais otimistas, o Brasil continua à frente de outros países emergentes, como Índia e México.

O relatório aponta que o Brasil está "sendo impactado pelo fraco investimento e um ambiente de baixo crescimento e relativamente alta inflação". Entre os executivos do país, a maior parte deles acredita que o principal obstáculo tem sido a falta de infraestrutura básica (91%). As ações do governo relacionadas à dívida pública e ao déficit fiscal, além do aumento da carga tributária, também foram lembradas pelos CEOs que atuam por aqui.

Apesar do pessimismo, 27% dos executivos esperam um crescimento em 2015 e a maior parte deles acredita no aumento de receita das suas empresas. 31% afirmam estar muito confiantes neste sentido, enquanto que 30% declararam estar apenas confiantes.

A situação da economia atual do país e os obstáculos apresentados pelos CEOs na pesquisa da PwC já mostram efeitos com relação aos investimentos e entrada de indústrias multinacionais. Samsung e LG desistiram de instalar fábricas no Brasil devido à situação morna da economia, ainda que a sul-coreana não tenha confirmado o fim dos planos de instalação de uma fábrica em Limeira.

Em termos globais, a pesquisa mostrou que os executivos em geral estão menos otimistas em relação às perspectivas de crescimento global. Apenas 37% acreditam que existirá uma melhoria das condições econômicas, porcentagem sete pontos menor do que em 2014. Além disso, a porcentagem de CEOs que acreditam em uma retração econômica saltou de 7% para 17% em um ano.

Fonte: http://www.baguete.com.br/noticias/22/01/2015/interesse-de-ceos-pelo-brasil-caiu