Perfil do e-commerce brasileiro: um bom relacionamento é a chave do sucesso

Por Redação | 24 de Dezembro de 2012 às 06h20
photo_camera Mundo Bit

As exigências dos consumidores para com as empresas torna-se mais forte a cada dia. Os clientes desejam mais dinamismo nas relações, além de um tratamento personalizado. E cada vez mais as empresas buscam concretizar um relacionamento agradável e de longo prazo com seus clientes.

Quando o assunto é e-commerce, existem ações que, quando não bem realizadas, comprometem gravemente as chances da segunda compra. É o que mostra a pesquisa encomendada pela Pitney Bowes Software, para conhecer os hábitos de compra e de relacionamento do consumidor online brasileiro.

A pesquisa foi realizada em novembro, contando com a opinião de 1.384 entrevistados que já fizeram compras pela Internet, pela empresa Quanti Pesquisa de Mercado. O estudo foi feito pela web e o perfil da amostra reflete bem de perto o perfil da distribuição dos usuários da Internet no Brasil:

PECHINCHAS, CUPONS, COISAS GRÁTIS? Participe do nosso GRUPO DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

  • 56% homens e 44% mulheres;
  • 66% no Sudeste, 14% no Sul, 14% no Nordeste, 5% no Centro Oeste e 1% na região Norte;
  • 32% Classe B2, 25% Classe B1, 28% Classe C e 15% Classe A.

Ao avaliar as empresas com relação a conhecimento, experimentação e preferência de compra, a liderança da Americanas.com é bem grande: 100% conheciam a loja, 75% já a experimentaram e ela tem a preferência de 15% entre os 24 sites/lojas avaliados. Americanas.com, Submarino.com e Saraiva.com são os sites mais familiares no e-commerce brasileiro.

Quando perguntado sobre o que é mais importante na hora de fazer uma compra on-line, o consumidor destacou, em primeiro lugar, o preço (62%) e, logo em seguida, a segurança para fazer pagamentos (55%). Mas o compromisso com o prazo da entrega (43%), taxas de entrega (36%), política de devolução (17%) e facilidade para rastrear a compra (12%) são também fatores de alta importância.

Entre os motivos que geram a desistência da compra online o campeão foi o serviço da entrega. Taxas de entrega (66%), prazos de entrega muito longos (54%) e a falta de clareza na política de devolução (34%) são os principais motivos para a desistência de uma compra online.

De acordo com Ronaldo Oliveira, diretor da Pitney Bowes Software Brasil, estes resultados indicam a importância das empresas investirem na logística de entrega com soluções de geolocalização para garantir desde o abastecimento dos centros de distribuição até a entrega do produto dentro do prazo, com possibilidade de rastreamento pelo cliente.

No quesito produtos preferidos para comprar pela Internet, mais da metade dos entrevistados prefere comprar livros (57%). Logo após, vêm três grupos distintos: eletrônicos (48%), eletrodomésticos (43%) e eletrônicos de alta tecnologia (43%). Um terceiro tipo de produto é formado por mídias de reprodução como CDs e DVDs com 35%.

Sobre os canais de atendimento para que o consumidor possa entrar em contato com a loja/site, o resultado mostra a clara preferência pelo atendimento multicanal. O canal de contato preferido com lojas online ainda é o 0800 (29%), seguido bem de perto pelo e-mail e pelo chat online com 26% cada.

“Gerenciar a comunicação com o cliente faz a diferença entre vender uma única vez e se relacionar com o consumidor ao longo de sua vida”, destaca Oliveira. Comunicações interativas, personalizadas e por múltiplos canais geram confiança e credibilidade no fornecedor e despertam ações retroativas no consumidor.

Mas vale o alerta de Ronaldo Oliveira sobre a complexidade de gerenciar todas estas soluções sem perder a qualidade das informações, nem oportunidades de novos negócios: “Muitas organizações gerenciam as interações com seus clientes de forma descentralizada e por vários departamentos distintos. Isto gera perdas de informações preciosas e uma grande insatisfação no consumidor”, explica.

Para as compras de Natal e festas de fim de ano, 74% dos entrevistados afirmaram que pretendem fazê-las pela Internet. Livros (39%) serão provavelmente os presentes mais comprados seguidos de brinquedos (34%). O valor médio gasto em compras online para o Natal deverá ficar por volta de R$ 655,00, porém entre as pessoas com filhos a média de gastos deverá ser mais alta (R$ 797,00).

Para 29% dos clientes, o valor gasto deverá ser o mesmo do Natal passado. Para 33%, o valor deverá ser maior ou bem maior que ano passado. Porém, para 38% o valor será menor ou bem menor que no ano passado.

A Pitney Bowes Software oferece uma plataforma integrada de CCM, Customer Communication Management que possibilita automatizar o gerenciamento da comunicação e responder às oportunidades com uso mínimo da equipe de TI, permitindo uma total consistência com todos os canais de comunicação.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.