PayPal cortará centenas de cargos, segundo relatórios

Por Redação | 14 de Outubro de 2012 às 18h18

O PayPal está prestes a cortar 3% de sua força de trabalho, o que significa que, em pouco tempo, de 300 a 400 funcionários perderão o cargo. A decisão é do novo presidente da empresa, David Marcus, que pretende agilizar as operações para cortar custos, de acordo com relatórios. As informações são da CNET.

A Bloomberg citou uma fonte não identificada ao relatar a notícia, e a Reuters publicou seu próprio relatório, também citando uma fonte anônima.

De acordo com a Bloomberg, os grupos de tecnologia e produtos do PayPal seriam os mais atingidos pelos cortes, o que irá ocorrer durante as próximas semanas. Atualmente, a empresa emprega cerca de 13.000 pessoas e está enfrentando a concorrência de startups no mercado de pagamentos on-line, como a Stripe e a WePay.

Marcus chegou à empresa em julho do ano passado, assim que o eBay (proprietário do PayPal) comprou o Zong, uma empresa de pagamentos móveis que ele havia fundado. Segundo o CEO do eBay John Donahoe, Marcus seria essencial para trazer uma "energia de startup" ao PayPal, que já estava na ativa desde o ano 2000.

Tanto a Bloomberg quando a Reuters publicaram a seguinte declaração do PayPal, em resposta às suas perguntas:

"Nós contamos aos funcionários do PayPal sobre nossos planos em curso para reforçar e simplificar a forma como criamos e entregamos, de forma consistente, excelentes produtos e experiências de marca para nossos clientes". E a Bloomberg acrescentou mais informações retiradas de um e-mail que recebeu do PayPal: "Não discutimos ainda como esses planos podem impactar quaisquer cargos existentes em nossas equipes de tecnologia, produto e marketing".

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.