Patente registrada pela Apple mostra doca de recarga cheia de funções

Por Redação | 12.03.2015 às 12:28
photo_camera Divulgação

Uma patente registrada nesta semana pela Apple parece mostrar que a empresa está bem disposta a lançar uma doca de recarga para iPhones bem mais avançada que os modelos disponíveis atualmente no mercado. Distanciando-se das bases simples que estão disponíveis oficialmente hoje, o produto dedicado ao iPhone 6 e seu irmão maior, o Plus, traria bem mais funções e serviria como um centro integrado para boa parte das soluções mobile da empresa.

Na parte de cima, temos os tradicionais conectores Lightning e uma saída de áudio, que transforma o sinal digital do aparelho em analógico para utilização de duas caixas de som. Até aí, nada de diferente, não fosse o fato de a patente, aprovada pelos órgãos responsáveis nos Estados Unidos, incluir também exemplos de dispositivos com telas sensíveis ao toque, conexão Wi-Fi e até sensores de proximidade. As informações são do site Apple Insider.

Além disso, o produto também teria suporte para transferência de dados entre dispositivos, para sincronização com a nuvem, por exemplo. O processo seria o mesmo realizado sempre que um iPhone ou iPad é conectado ao computador, com os aplicativos, mídia, emails e documentos sendo salvos na conta do usuário como backup.

Existem também citações à possibilidade de versões do acessório com recarga indutiva, do tipo que não é necessariamente preciso conectar o aparelho ao cabo. Aqui, bastaria colocar o celular – ou qualquer outro dispositivo compatível – em cima da doca para que a transmissão de energia acontecesse. É um método mais simples, que já existe hoje pelas mãos de empresas como a Duracell, por exemplo, mas tem seus problemas de eficiência e consumo de energia.

E, mais do que isso, a Apple fala ainda de tornar a doca mais do que um simples espaço de recarga, uma central de controle de uma casa conectada. Mesmo sem nenhum dispositivo conectado a ela, por meio da conexão Wi-Fi, seria possível conversar com cafeteiras, termostatos, janelas, luzes e todo tipo de dispositivos da Internet das Coisas. A mágica aconteceria a partir do HomeKit, claro, e somente com aparelhos compatíveis com iOS.

Como sempre, registros de patentes não significam diretamente que os produtos chegarão ao mercado. Em vez disso, tais documentos podem servir apenas para que a Apple tenha propriedade sobre suas invenções e tecnologias, que podem ou não ser lançadas da maneira descrita ou de formas um pouco diferentes. A empresa, como sempre, manteve silêncio sobre as informações.