Patente mostra que Apple pensa em fabricar telas com painel solar integrado

Por Redação | 23 de Maio de 2014 às 06h50

Há quem diga que já faz algum tempo desde que a Apple apresentou algo realmente inovador - e isso até pode ser verdade. Se ela continua sendo inovadora ou não, vai da opinião de cada um, mas sabemos que suas patentes são vislumbres incríveis do que poderemos ter num futuro não tão distante.

Registrada no U.S. Patent Trademark Office, a mais nova delas mostra como poderemos manter nossos dispositivos móveis carregados. Intitulada "Integrated Touch Sensor and Solar Assembly", a patente descreve como funcionaria um display flexível integrado a painéis solares. Segundo informações do Digital Trends, a peça pode contar com múltiplas camadas de sensores de toque e no mínimo uma camada de células solares.

Para que seja capaz de captar os raios solares e convertê-los em energia para o dispositivo móvel, a patente indica que as camadas seriam dispostas de maneira a criar canais pelos quais a luz passa até atingir os painéis solares. A ideia, claro, é fazer com que os usuários possam manter os iGadgets com níveis de bateria aceitáveis e afastá-los das tomadas.

Patente registrada mostra que empresa de Cupertino pode estar pensando em fabricar displays flexíveis com painel solar integrado

Patente registrada mostra que empresa de Cupertino pode estar pensando em fabricar displays flexíveis com painel solar integrado (Imagem: Reprodução)

Embora pareça promissora, é possível que a patente jamais venha a ser utilizada, principalmente se o longo histórico de registros da Apple que nunca foram utilizados for levado em consideração. Além disso, a própria patente diz que a técnica seria utilizada apenas para prolongar a longevidade da bateria.

"A utilização de painéis solares em dispositivos móveis, principalmente os menores, traz consigo alguns problemas técnicos e de design", diz o documento. "O tamanho reduzido desses dispositivos significa que a superfície de captação também é reduzida. Como se não fosse suficiente, a existência de outros componentes implica numa redução ainda maior, o que dificulta a captação de energia solar suficiente para produzir energia elétrica", explica o registro.

Apesar de toda essa explicação, o documento não revela se a tecnologia seria utilizada num futuro iPhone, iPad ou até mesmo no iWatch. A nós, consumidores, nos resta apenas aguardar para ver se isso um dia chegará até nós.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.