Paraná usará Business Intelligence para achar cidadãos sem RG

Por Redação | 14.10.2013 às 12:53

O governo do Paraná quer mapear e encontrar cidadãos que ainda não possuem documento de identificação (RG), e para isso deve usar indicadores de

Business Intelligence (BI).

O objetivo do governo é dar mais eficiência às políticas públicas que buscam a garantia da cidadania da população. A plataforma de BI utilizada foi desenvolvida pela Celepar para extrair dados pré-existentes com informações de apoio para a tomada de decisão. Os dados pré-existentes usados serão repassados pelo Ministério Público Federal e coletados pelas secretarias estaduais da Educação, Segurança Pública e da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos.

Para detectar a base de cidadãos sem RG, a Celepar desenvolveu robôs de verificação para varrer as bases das secretarias, cruzando informações com o Instituto de Identificação paranaense. A Celepar já utiliza este sistema para levantar indicadores nas diferentes verticais do governo. A diferença é que agora o desafio é fazer o cruzamento destes dados para encontrar pessoas ainda sem RG.

O público prioritário do governo são famílias indígenas, agricultores familiares, assentados, catadores de materiais recicláveis, quilombolas, pescadores, ciganos, detentos e pessoas que residem em bairros violentos onde as Unidades Paraná Seguro (UPS) já foram instaladas.

Inclusão

Segundo a secretária estadual da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Maria Tereza Uille Gomes, ainda não é possível estimar o número de pessoas que não possuem o documento de identidade devido à falta de informações. O governo estima, no entanto, que desde 2011 houve um aumento de 50% na emissão de identidade gratuita para a população carente. No mês passado, por exemplo, 800 pessoas da comunidade indígena de Laranjeiras do Sul tiveram documentos emitidos.

O Ministério Público Federal irá acompanhar e avaliar o resultado das ações de expedição de RG. Em conjunto com o Poder Público, eles promoverão a inclusão dos beneficiados em programas sociais de auxílio, escolarização, qualificação profissional e melhores condições de moradia com acesso à água e ao saneamento.