Para sair do buraco, HTC teria contratado ex-Samsung que 'criou' a marca Galaxy

Por Redação | 18 de Abril de 2014 às 21h35
photo_camera Divulgação

Já faz algum tempo que as coisas não andam muito bem nos corredores da HTC. Mesmo com o lançamento do excelente sucessor do HTC One, conhecido como HTC One M8, a gigante asiática registrou um prejuízo acima dos US$ 62 milhões no último trimestre - uma previsão bem acima da expectativa de especialistas da indústria. A receita da companhia caiu 22,6% no mesmo período.

Mas a empresa parece estar de olho nas mudanças do mercado e pode se reeguer no segmento dos smartphones, assim como aconteceu com a Motorola nas mãos do Google. O úlimo rumor afirma que a entidade teria contratado Paul Golden, ex-diretor de marketing da Samsung nos Estados Unidos, onde trabalhou entre os anos de 2008 e 2012. As informações são da Bloomberg e do The Wall Street Journal.

Golden é o homem por trás da campanha "The Next Big Thing" ("A Próxima Grande Coisa", na tradução livre), a mesma que colocou a marca Galaxy da Samsung entre as mais conhecidas no mundo dos celulares inteligentes. O comercial também foi um divisor de águas no universo Apple porque, além de provocar diretamente o iPhone, abalou o domínio de seu principal rival nos países onde a Maçã dominava com folga. Isso sem contar que os dispositivos da linha Galaxy são alguns dos aparelhos mais vendidos equipados com o sistema operacional Android, outro inimigo da gigante de Cupertino.

Outro feito de Golden é que ele ajudou a aumentar a participação da Samsung no mercado de smartphones, um salto de 4,5% para 21% até os últimos meses em que trabalhou na empresa. Dessa forma, não é estranho imaginar que a HTC tenha contratado o executivo, que já teria assinado, inicialmente, um contrato de três meses, e se reportaria diretamente a Cher Wang, presidente da HTC. A função de Golden na corporação não é de diretor de marketing, mas sim de conselheiro, para ajudar os taiwaneses a ter mais visibilidade na indústria.

Conhecimento e experiência em estratégias de marketing são características de Golden, duas coisas que não estão muito presentes na trajetória da HTC. Esses seriam, inclusive, os motivos que levaram a companhia ao buraco: o HTC One (M8) foi anunciado no final de março e não recebeu campanhas publicitárias bem estruturadas, o que teria prejudicado as vendas apesar das boas configurações do aparelho - a geração anterior do dispositivo foi considerada no ano passado como o melhor smartphone do mundo.

Prejuízos

A HTC começou 2014 com o registro de uma perda líquida de US$ 62,06 milhões registrados entre os meses de janeiro e março. De acordo com um comunicado enviado pela empresa nesta segunda-feira, a receita da fabricante caiu assustadores 22,6%, chegando a T$33,12 bilhões (pouco mais de US$ 1 bilhão). As ações da HTC também caíram 38% em relação ao ano passado.

A empresa espera retomar o lucro no segundo trimestre, com altas expectativas para o recém-lançado HTC One (M8) - ainda mais agora com a suposta contratação de Paul Golden, ex-Samsung, que deve ajudar na divulgação do aparelho. Mas o foco não será apenas no topo de linha, já que, recentemente, a empresa lançou diversos dispositivos de médio e baixo custo para bater de frente com Androids de entrada, principalmente os que são vendidos em mercados emergentes.

Além de smartphones, a taiwanesa também deve se focar em tablets e gadgets vestíveis, como relógios inteligentes. Algumas informações apontam que a HTC será a nova parceira do Google na fabricação do tablet Nexus 8, cujo lançamento está previsto para junho. A empresa também deve anunciar em breve três acessórios vestíveis, um deles sendo um relógio inteligente com o Google Now, assistente pessoal do Android.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.