Para otimizar negócios, Dell manda 'pequena porcentagem' de funcionários embora

Por Redação | 04.02.2014 às 16:25

A Dell anunciou nessa segunda-feira (03) que enxugou seu quadro de funcionários, despedindo uma "pequena porcentagem" de trabalhadores. De acordo com informações da Computer World, a fabricante de computadores e acessórios não revelou – e nem pretende revelar – o número exato de funcionários que mandou embora, mas o certo é que a redução foi da ordem de milhares.

A redução no quadro funcional ocorre logo após o fim do ano fiscal da empresa, que ocorreu no dia primeiro deste mês. De acordo com um relatório divulgado no fim do último ano fiscal, a Dell empregava cerca de 113 mil trabalhadores em todo o mundo, sendo 40.500 deles alocados nos Estados Unidos.

No ano passado a Dell fechou seu capital, saiu da bolsa de valores e voltou às mãos de Michael Dell, seu fundador e atual CEO, tornando-se uma empresa privada. Portanto, não é de se espantar que a empresa esteja tentando cortar custos e despedindo funcionários para tornar a ser lucrativa.

"A Dell tem adotado ações para otimizar o negócio, simplificar as operações e melhorar a eficiência em relação aos últimos anos", disse David Frink, porta-voz da Dell, antes de confirmar que "uma pequena porcentagem de membros da equipe global da Dell aceitou uma oferta da companhia com indenizações significativas associadas a um programa de demissão voluntária da empresa".

Apesar do número não revelado de trabalhadores mandados para casa, a Dell anunciou a abertura de 30 vagas em "áreas estratégicas", incluindo as de engenharia, desenvolvimento de software, gerência de contas e outras.