Para Samsung, produtos “premium” são saída para continuar competitiva

Por Redação | 13.03.2015 às 10:59

Depois das telas de toque, dos celulares com displays enormes e dos sensores biométricos, parece que a nova moda do momento é as versões “especiais” dos aparelhos. Depois da Apple chegar ao mercado com duas edições do iPhone 6, agora é a vez da Samsung apostar na mesma abordagem, confiando em materiais e dispositivos especiais para permanecer competitiva no mercado.

De acordo com as informações da Bloomberg, na mesma medida em que pretende diminuir o número de modelos em seu portfólio, a marca sul-coreana também promete aumentar o número de edições especiais de seus smartphones. O Galaxy S6, por exemplo, já chegará às lojas em duas opções – a comum e a Edge, com tela curva nas duas laterais –, além de já existirem os boatos sobre uma terceira versão, resistente a água, choques e poeira. E a ideia da empresa é muito maior.

Materiais considerados de luxo, como o alumínio e o vidro, por exemplo, também comporão versões especiais de futuros produtos, que também poderão chegar com displays de maior definição ou designs mais finos que os tradicionais. O objetivo final é não deixar que o crescimento da Apple e outras fabricantes menores, principalmente no mercado asiático, ameacem a liderança da Samsung no mercado. Em vez disso, a ideia é consolidar sua liderança.

As novidades foram anunciadas pelo CEO da empresa, Shin Jong Kyun, em uma reunião com investidores na capital sul-coreana, Seul, nesta sexta-feira (13). Para os executivos, ampliar a presença nos mercados de alto padrão seria um bom caminho para melhorar os números e manter a empresa no topo, já que os segmentos de baixo e médio porte estão cada vez mais fragmentados e a oferta de modelos é tamanha que existe pouco espaço para diferenciação.

No encontro, ele também falou sobre novas oportunidades de negócio para a empresa, que promete entrar de cabeça no mundo corporativo, fitness, de saúde e Internet das Coisas. Investimentos de cerca de US$ 21 bilhões estão sendo feitos para garantir que o setor mobile da Samsung não dependa mais exclusivamente de smartphones, principalmente depois que, após anos, a Apple finalmente conseguiu alcançar a rival, com ambas concentrando cerca de 20% do mercado no final de 2014.

O ano passado também foi o período em que a Samsung começou a mostrar seus sinais de cansaço, com a performance abaixo da esperada do Galaxy S5 e críticas quanto à reciclagem, em vez de revitalização, de boa parte de sua linha de dispositivos. Tais questões motivaram diversas mudanças gerenciais e de produto ao longo de 2014, motivando muitas das novidades que estamos observando apenas agora.

O mercado reagiu bem às novas informações, com aumento de 1,9% nas ações da Samsung, mantendo um movimento positivo que já vinha desde o início de março, quando ela anunciou o Galaxy S6. Ainda assim, a expectativa da empresa é de queda no faturamento no primeiro trimestre deste ano, com uma redução de cerca de 4% potencializada também pelas incertezas econômicas em diversos de seus grandes mercados. Mais um motivo pelo qual a empresa está apostando nas ofertas premium, que seriam uma maneira de compensar essa possível redução.