PMEs apostam em inovação e tecnologia para melhorar competitividade, diz estudo

Por Redação | 09.08.2013 às 09:40

Novo estudo da Oxford Economics, encomendado pela SAP, afirma que pequenas e médias empresas em todo o mundo se preparam para enfrentar a concorrência com o investimento em inovação e novas tecnologias que visam reduzir custos e ampliar a eficiência. A pesquisa consultou 2.100 executivos de PMEs em 21 países, incluindo o Brasil.

Os executivos das PMEs entrevistados pela pesquisa acreditam que têm condições de competir com empresas maiores e que possuem algumas vantagens sobre elas. O estudo concluiu também que, quando bem-sucedidas, as pequenas e médias empresas estão expandindo seus negócios para além do mercado doméstico para acelerar ainda mais seu crescimento.

Segundo a pesquisa, 15% das empresas já atuam e fazem negócios em seis ou mais países, devendo atingir os 35% em três anos. Cerca de um quarto dos entrevistados pelo estudo afirma que, atualmente, a crescente concorrência global tem estado entre os três principais fatores que afetam seus negócios, com 60% afirmando que a concorrência de empresas estrangeiras aumentou consideravelmente nos últimos dois anos. 59% dos entrevistados afirmaram que em comparação com o último ano estão, agora, competindo diretamente com empresas de porte maior.

A América Latina também se tornou uma região muito atrativa para os negócios, fazendo com que as empresas instaladas na região tenham que enfrentar a concorrência e manter seu espaço no mercado local. A maioria das PMEs está buscando cada dia mais novos parceiros e fornecedores no exterior, com quase 40% dos entrevistados afirmando que consolidar novas parcerias e alianças estratégicas é um grande desafio no momento em que estão reestruturando seus negócios. Ferramentas como a computação na nuvem e as mídias sociais têm sido importantes para facilitar o fechamento de novas parcerias.

Dois terços das empresas entrevistadas estão em algum estágio de reformulação do seu negócio, já que mudanças em seu modelo de negócios, oferta de serviços e produtos, e tecnologia são necessárias para se manterem competitivas no mercado. A tecnologia, como grande ferramenta transformadora, é uma das prioridades nas PMEs ao passo que elas começam a restruturar seu negócio para competir no mercado mundial, incluindo soluções de software de gestão, mobilidade, análise de dados, redes sociais e computação na nuvem.

Quase dois terços dos executivos de PMEs entrevistados acreditam que a adoção de soluções tecnológicas é capaz de ajudar a companhia a conquistar longevidade e crescimento sustentável. 35% dos empresários se consideram usuários precoces, ou 'early adopters', e este número aumenta para 47% entre os responsáveis por pequenas e médias empresas nos Estados Unidos. E como a concorrência mundial deve continuar aumentando ao longo dos próximos três anos, os entrevistados acreditam que a reformulação dos seus negócios só poderá ser alcançada com o uso de novas tecnologias.

O estudo também mostrou a importância que as PMEs dão para a inovação, com mais de um terço dos entrevistados afirmando que a criação de uma cultura de inovação em suas empresas é uma de suas prioridades. 55% dos mercados emergentes (Brasil, Chile, China, Colômbia, República Checa, Hungria, Índia, México, Rússia e áfrica do Sul) e 58% das empresas latino-americanas priorizam a inovação.

As empresas sediadas em mercados emergentes (54%) costumam acreditar mais que a oferta de novos produtos e serviços seja responsável pela condução do crescimento do seu negócio do que as empresas de mercados consolidados (43%). Uma das principais vantagens das PMEs sobre as empresas grandes é o uso da mobilidade, que auxilia na inovação.

No quesito novas tecnologias, a pesquisa identificou que a computação na nuvem deve crescer 22% na América Latina, com maior aceitação no mercado de serviços profissionais e no comércio atacadista. As soluções de análise tiveram crescimento de 20%, atingindo pico de 30% no setor de bens de consumo. 47% dos entrevistados esperam que suas empresas tenham adotado em três anos a mobilidade, bem como o aumento de 12% do uso de redes sociais para fins empresariais.

"As pequenas e médias empresas da América Latina têm enormes oportunidades para crescer e se diversificar, mas precisam contar com ferramentas tecnológicas sólidas, poderosas e inovadoras para elevar a competitividade, levando em consideração que a concorrência vem das mais diferentes partes do planeta", afirmou em nota Claudia Boeri, diretora de Ecossistema e Canais da SAP para a América Latina.