Outsourcing: a alternativa para as instituições financeiras

Por Colaborador externo | 30.01.2015 às 07:33

Por Karine Nogueira *

Mais do que uma tendência, a terceirização da Tecnologia da Informação no setor financeiro brasileiro é uma realidade. Instituições de todos os portes contratam consultorias que possam gerenciar seus projetos ou, até mesmo, montar toda a estrutura de TI. Esse movimento está relacionado, entre outros aspectos, à redução de custos e à falta de espaço físico em seus escritórios. Quando o processo é terceirizado, a gestão de pessoas, por exemplo, passa a ser responsabilidade da consultoria. Além disso, o outsourcing permite que os gestores mantenham o foco em seu core business e nas estratégias de mercado.

Outra questão é a necessidade de mão de obra especializada. Se há escassez de profissionais experientes para TI, a situação torna-se ainda mais precária quando é preciso especialistas em soluções para o setor financeiro. A demanda por equipes e novas tecnologias é crescente e perene para o segmento, visto é que mais de 135 milhões de pessoas possuem algum tipo de relacionamento com bancos.

As transações bancárias superam a casa dos 40 bilhões anuais e o investimento do setor financeiro em tecnologia encontra-se ao redor de R$ 20 bilhões por ano, de acordo os dados da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Ainda segundo a entidade, no ano passado, foram realizadas 17 bilhões de transações bancárias com movimentação financeira.

Podemos citar ainda a pesquisa divulgada pelo IDC em junho de 2013, quando o setor financeiro já respondia por 46,5% dos negócios de outsourcing em tecnologia no país. Os dados demonstram que o mercado brasileiro de serviços de TI movimentou R$ 27 bilhões em 2012. Do total, R$ 12 bilhões foram utilizados em compras de outsourcing, envolvendo contratos de desenvolvimento de aplicações personalizadas, gerenciamento de sistemas, infraestrutura de serviços de hospedagem, terceirização de rede e de desktops.

Tal cenário deixa claro que encontrar bons profissionais para projetos tem custo elevado e uma missão quase impossível. Há ainda as constantes mudanças na normatização que exigem capacitação e gerenciamento contínuos das instituições. Dessa forma, a necessidade de investimento em profissionais, tecnologias e processos torna o custo operacional mais elevado, que pode ser amenizado pela terceirização. Ao contratar uma consultoria com especialistas em TI para o setor financeiro, as instituições contam com mão de obra qualificada, estruturas e soluções de última geração, com a melhor otimização de alocação de recursos quando comparada ao modelo in-house.

Dois formatos são frequentemente utilizados pelas instituições financeiras: a terceirização de projetos ou a terceirização da área de TI como um todo. A melhor opção varia de acordo com o objetivo da instituição, mas, para obter sucesso em qualquer tipo de terceirização de serviços, o gestor precisa ter em mente que a consultoria deve contar com equipe multidisciplinar com grande experiência em outsourcing, além de possuir recursos de TI com conhecimento no mercado financeiro. Dessa forma, é possível obter um processo personalizado e assertivo.

* Karine Nogueira é diretora Adjunto de Outsourcing da Senior Solution, e responde pelo planejamento orçamentário, definição e gerenciamento de políticas e estratégias de vendas. Gestão de relacionamento com clientes e fornecedores e gerenciamento da equipes interna e externa. Psicóloga, Pós Graduada em Gestão de Pessoas e atualmente cursa o MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios na Fundação Getúlio Vargas. Sua carreira profissional foi desenvolvida na área de Recursos Humanos, direcionada para o segmento de Tecnologia da Informação. Diretora da Unidade de Outsourcing de Profissionais na Senior Solution.