Operadora de telefonia móvel do Google deve se chamar Google LTE-A

Por Redação | 04.03.2015 às 13:59
photo_camera Divulgação

Confirmando os rumores de alguns meses atrás, o Google declarou nesta semana que tem planos de lançar a própria operadora de telefonia celular. Embora nenhuma outra informação tenha sido revelada pela empresa, um novo boato pode indicar qual será o nome desse serviço. De acordo com o site AndroidHeadlines, a plataforma da gigante das buscas deve se chamar Google LTE-A.

O nome foi descoberto em uma conta no Twitter batizada de @googlelte, que já foi removida da rede social. A descrição que estava no perfil do microblog exibia a seguinte mensagem: "Com o @googlefiber, LTE-A vai ser a próxima geração de rede celular, trazida até você pelo @google". Além disso, o suposto logo da nova investida do Google segue o design adotado pela companhia em seus produtos mais recentes, baseando-se apenas no nome da marca em um fundo azul.

O grande mistério dessa história é que não foi apenas a conta @googlelte a única deletada. Sites internacionais que publicaram a notícia sobre esse perfil também retiraram suas respectivas matérias do ar, indicando que os dados sobre o possível serviço mais uma vez vazaram antes da hora. Outra possibilidade é que alguém teria se aproveitado dos rumores e criado um cadastro falso para chamar atenção, o que teria ocasionado a remoção da notícia de sites estrangeiros.

Sundar Pichai

Sundar Pichai, vice-presidente do Android, durante palestra no Mobile World Congress 2015. (Foto: Manu Fernandez/AP)

Em todo o caso, o Google vai mesmo lançar a própria MVNO, operadora móvel com rede virtual que vende o serviço por conta própria, mas aluga a infraestrutura de outra empresa. No entanto, engana-se quem pensa que a companhia quer concorrer com outras prestadoras em atuação no mercado. Em conferência no Mobile World Congress (MWC), em Barcelona, Sundar Pichai, vice-presidente e chefe da divisão Android, declarou que o objetivo é oferecer uma plataforma na qual possa testar outros programas e serviços para smartphones Android.

Tal filosofia se iguala aos aparelhos da linha Nexus que, apesar de não serem grandes sucessos de vendas comparados ao iPhone e ao Samsung Galaxy, por exemplo, são muito bem recebidos por usuários que buscam uma experiência mais pura do sistema operacional do robô verde. Com isso, a entidade não deve se preocupar em ser líder no mercado de telefonia móvel, mas sim em explorar os limites do hardware e software e apontar possíveis tendências tecnológicas para o futuro. Uma dessas tendências citadas por Pichai seria a reconexão automática de ligações que por algum motivo caem.

Ainda não há previsão de lançamento da rede de telefonia móvel do Google, mas o vice-presidente do Android disse que parte dos planos da companhia será concretizada "nos próximos meses". Inicialmente, o serviço estaria disponível nos Estados Unidos e já teria a parceria das operadoras norte-americanas T-Mobile e Sprint. Os planos seriam comercializados pela internet, por meio da Google Play Store, que hoje vende filmes, livros, músicas e aplicativos para donos de aparelhos Android.