Novo algoritmo do Google quer privilegiar sites de nicho nas primeiras páginas

Por Redação | 03 de Outubro de 2013 às 17h50

Na semana passada, o Google anunciou um novo algoritmo para seu motor de busca, o Hummingbird (beija-flor). Embora a empresa produza frequentemente atualizações e melhorias, a última vez que o gigante da web introduziu um novo algoritmo foi em 2001, o que torna a novidade algo grande. Embora não tenha dado maiores detalhes, o Google diz que o Hummingbird é focado em compreender o contexto, a relevância e o significado daquilo que perguntamos ao motor de busca do Google. Mas como?

Atualmente, o grande volume de dados presentes na internet nos faz ter que digitar cada vez mais palavras no Google Search para obter maior precisão dos resultados. Muitas vezes, precisamos realizar várias pesquisas até encontrar a informação que realmente estamos procurando.

Isso ocorre porque os resultados das pesquisas que recebemos atualmente refletem a combinação de correspondência de palavras-chave que formam uma frase de pesquisa, ao invés do verdadeiro significado da própria sentença. Resultados de pesquisa produzidos pelo novo algoritmo vão refletir o significado semântico de longas frases inseridas durante a busca. Em teoria, o Hummingbird deve oferecer resultados bem mais precisos para o que buscamos.

O gigante da web também admitiu que o número de buscas móveis e baseadas em voz está aumentando. No segundo caso, as pesquisas são feitas em uma linguagem mais natural, o que significa que ela pode não conter as mesmas palavras-chave que poderíamos utilizar em um teclado de computador, e isso pode gerar resultados ruins.

As capacidades de busca semântica do Hummingbird visam atender a essa necessidade. Porém, é importante notar que o meio de pesquisa de voz móvel mais utilizado é a Siri, do iPhone, que usa o Yelp e o WolframAlpha em vez do Google para busca semântica. O WolframAlpha é uma ferramenta eletrônica de aprendizado capaz de responder praticamente tudo o que uma pessoa pergunta e que faz sucesso desde 2012. Portanto, não há dúvidas de que o Google lançou o Hummingbird como uma espécie de resposta à concorrência.

Deixando a concorrência de lado, quem pode se beneficiar com o novo algoritmo do Google são os anunciantes, principalmente aqueles de menor porte. Isso porque as buscas por palavra-chave são dominadas por grandes empresas e marcas que podem pagar pequenas fortunas para ganhar as palavras de maior expressão no Google. Já os resultados da busca semântica são menos previsíveis e devem permitir que pequenas empresas e sites de nicho consigam se destacar no ranking superior da página de resultados quando uma frase de busca mais precisa e complexa for utilizado.

O Hummingbird deve atingir cerca de 90% de todos os resultados de pesquisa do Google, de acordo com o britânico Telegraph, mas ainda não se sabe até que ponto. Uma conclusão que podemos tirar é que o gigante da web está tentando reter ainda mais dados para seus próprios fins, o que dá à empresa uma vantagem competitiva. Isso vai permitir que o Google apresente aos consumidores publicidade e promoções mais precisas do que qualquer outro site.