Novo CEO da Intel admite: empresa ainda é fraca na área mobile

Por Redação | 17 de Maio de 2013 às 10h00
photo_camera Divulgação
Tudo sobre

Intel

O novo CEO da Intel, Brian Krzanich, admitiu nesta quinta-feira (16) em seu primeiro discurso que a empresa anda fraca na área de dispositivos móveis. Segundo o CEO, o papel que a Intel vem desempenhando é ainda insuficiente, e uma boa maneira de fazê-la avançar no setor é fabricando novos chips e tecnologias que integrem smartphones e tablets. Saiu na PC World.

Com a nova chefia, o foco da Intel agora é produzir chips mais eficientes e econômicos, além de novos recursos de conectividade e segurança. "Vemos que estamos meio lentos para nos mover nesse espaço", disse o CEO em uma reunião hoje em Santa Clara, na Califórnia. "Já estamos bem posicionados e a base de ativos que temos irá permitir que cresçamos muito mais rapidamente nesta área".

Identificado o problema e feito o plano de ação, é bem provável que a Intel comece a apresentar bons resultados sob o comando de Krzanich. O CEO entrou no lugar de Paul Otellini, que deixou a empresa depois de quatro décadas, para se aposentar.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Alguns analistas já previram que Krzanich tem uma forte tendência à constância. O executivo tem trabalhado em todas as unidades e tem um bom conhecimento das operações da empresa, o que certamente o fará capaz de conduzir os avanços da Intel no mercado mobile, bem como na fabricação de componentes, PCs e data centers.

O próximo passo da empresa é investir nos chips baseados na arquitetura Silvermont, recentemente anunciados. Segundo Krzanich, a Silvermont representa um dos maiores avanços na arquitetura de chips da história da Intel. A empresa também pretende integrar a tecnologia LTE em seus chips Atom, o que será um grande impulso para seus negócios na área de dispositivos móveis.

Outro plano de negócio da empresa é lançar no próximo mês processadores de alto desempenho, conhecidos como Haswell, para PCs. Tais processadores são mais econômicos e versáteis, pois se encaixam perfeitamente tanto em notebooks como em tablets.

"Trata-se de oferecer respostas à medida que a taxa de dados disponíveis para você aumenta", comentou o CEO, cheio de expectativas para a Intel não só na área mobile, mas em todas que já atuou com sucesso até hoje.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.