Nova sede da Apple em formato de espaçonave terá homenagens a Steve Jobs

Por Redação | 27.03.2015 às 18:17
photo_camera Divulgação

O campus da Apple em formato de nave espacial – ou donut, como muita gente tem chamado – pode não ser chamado de Apple Campus 2, no final das contas. Em entrevista à revista Fortune, o CEO da companhia, Tim Cook, revelou que o nome do complexo pode ser alterado em homenagem a Steve Jobs, cofundador da empresa que morreu em outubro de 2011 vítima de um câncer no pâncreas.

"Eu odeio a palavra 'sede'. Há um trabalho real acontecendo aqui. Não é nada exagerado, e nós não somos burocratas", delcarou o executivo. Ele ainda diz que "a Apple ainda não decidiu exatamente como se chamará o 'Apple Campus 2'", nome este usado apenas por designação interna – o que significa que esta é uma nomenclatura provisória e poderá mudar quando o projeto estiver concluído.

Além disso, o empresário afirmou que "algum elemento de nomeação de edifícios ou toda a região [do campus] certamente vão receber uma homenagem a Jobs", e que isso depende apenas da vontade da família do homem responsável pelo iPhone e iPad. Ainda não se sabe como será essa homenagem. Para efeito de comparação, o principal prédio da Pixar, vendida por Jobs à Disney, se chama "The Steve Jobs Building", e no mesmo edifício há uma árvore dedicada ao ex-CEO da Maçã.

Cook batizou o edifíco como "a mãe de todos os produtos" da Maçã, citando que a infraestrutura contará com tecnologias internas desenvolvidas pela própria Apple. Isso inclui serviços e aplicativos para orientar os funcionários por todo o complexo, seja na hora de estacionar o carro ou procurar por uma vaga. Ele também enfatizou que deseja que os profissionais convivam em um ambiente bem descontraído, que priorize o entrosamento e acabe com os escritórios fechados, chatos e sem interação.

Avaliada em R$ 11,6 bilhões, a nova sede da Apple irá ocupar uma área de 260 mil metros quadrados. Antes de começar a erguer o edifício, a empresa participou de várias reuniões com a prefeitura da cidade de Cupertino para discutir e avaliar os impactos que o Apple Campus 2 trará para o município. Fora esses bilhões, a companhia investirá outros R$ 140,1 milhões na infraestrutura dos arredores do prédio para melhorar estradas, cruzamentos, ciclovias, calçadas e parques, além de outros R$ 74,6 milhões para incentivar os funcionários a dar carona, ir trabalhar de bicicleta ou usar o transporte público.

Quase toda a parte externa do Campus 2 (80%) será coberta por vários tipos de vegetação, totalizando 7.000 árvores entre carvalho, oliveiras e pés de ameixas, cerejas, caquis, maçãs, damascos e outras árvores frutíferas. Haverá ainda uma área onde serão plantadas ervas que poderão ser colhidas para fazer chás e cerca de 80% do lixo recolhido no local será reciclado. Durante as obras, cerca de mil das mais de 4.500 árvores que estavam no terreno e tiveram que ser retiradas serão realocadas para o local original quando o edifício estiver pronto.

Já na parte interna, a espaçonave terá quatro andares, capacidade para até 14 mil pessoas e refeitório com 2.750 lugares – incluindo uma área externa com 1.750 bancos para aqueles que preferem fazer refeições ao ar livre. Do lado de fora, os funcionários terão acesso a um estacionamento com 10.500 vagas, mas a empresa espera que pelo menos 4.000 empregados se locomovam a pé, de bicicleta ou por transporte público. Não será permitida a entrada de turistas no Campus 2, apenas de empregados da Apple.

Fonte: Apple Insider