Nos EUA, Twitch dá mais audiência que o horário nobre de emissoras de TV

Por Redação | 29 de Agosto de 2014 às 18h25
photo_camera Divulgação

Desde maio deste ano circulavam rumores sobre uma possível compra do Twitch, serviço de streaming de vídeos bastante usado para a transmissão online de jogos. Os boatos estavam certos, mas em vez do YouTube, foi a Amazon quem adquiriu a companhia.

A gigante do varejo americano comprou a plataforma por quase US$ 1 bilhão, valor equivalente à suposta oferta que o site de vídeos do Google teria oferecido. Mas por quê? Embora nenhuma das duas empresas tenha dado uma razão específica - apenas que ambas compartilham os mesmos valores e que a fusão irá ajudá-las a solidificar seus respectivos negócios -, a aquisição tem um motivo simples: a audiência do Twitch.

Lançado em 2011, o Twitch se tornou um dois principais canais de streaming de vídeo do mundo, principalmente de jogos de videogame. É a plataforma dominante quando o assunto são transmissões online de campeonatos de games, como League of Legends, Dota 2 e Hearthstone, e até se tornou uma ferramenta nativa nos consoles de nova geração da Sony e da Microsoft, o PlayStation 4 e o Xbox One, respectivamente.

Em apenas três anos de vida, o serviço já responde pelo 4º maior pico em tráfego de internet nos Estados Unidos, segundo informações da Reuters. Com 1,8% de participação, o site aparece na frente de outras potências do mundo da tecnologia, como Facebook, Tumblr e a própria Amazon no momento em que está realizando algumas transmissões ao vivo.

Só que tanto sucesso vai além e já tem superado o público de grandes canais de TV a cabo nos EUA. De acordo com um levantamento de dados do jornal The New York Times, a audiência do Twitch cresceu de forma impressionante nos últimos dois anos. Para se ter uma ideia, no horário mais caro para a publicidade televisiva norte-americana - o chamado "horário nobre" aqui no Brasil -, o serviço online atrai mais espectadores do que as emissoras CNN e MSNBC. Em momentos de pico, a audiência das transmissões do Twitch encosta no público alcançado pela MTV (que, ao contrário do Brasil, tem uma audiência bastante forte por lá).

Twitch

O fato da Amazon querer investir nesse tipo de plataforma não é por acaso. Apesar de ainda ser olhado com descrença por algumas pessoas, o Twitch tem uma base leal de milhões de usuários que cresce rapidamente, chamando atenção de grandes marcas. Para muitos especialistas, as transmissões interativas e ao vivo, área onde o Twitch é pioneiro, são o futuro dos vídeos online, uma vez que o serviço é gratuito e permite que qualquer internauta envie sua jogatina ao site. Além disso, muitos dos usuários que fazem transmissões ao vivo no Twitch são jogadores comuns, sem vínculo com grandes marcas.

"É uma audiência cativa e leal. Onde há pessoas que pensam de forma similar, todas agregadas em um lugar, presas em torno da mesma coisa e participando das mesmas experiências, isso oferece um ambiente realmente único para se direcionar [anúncios]", comentou Adam Shlachter, chefe de ativação de mídia da agência de marketing DigitasLBi.

Sim, o Twitch está cada vez mais próximo da televisão tradicional e sua audiência, mas ainda está longe de alcançar o público de outros serviços de vídeos online. Para efeito de comparação, no quesito de horas assistidas por mês, a Netflix registra um tráfego oito vezes maior que o Twitch, enquanto o YouTube supera essa marca 24 vezes.

Atualmente, mais de um milhão de usuários únicos mensais transmitem conteúdo em vídeo pelo Twitch, e 55 milhões de espectadores mensais foram registrados em julho deste ano - uma alta de cerca de 45% em relação ao mesmo período do ano passado.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.