Nokia vende recorde de 8,8 milhões de Lumias e registra lucro no trimestre

Por Redação | 29.10.2013 às 13:11

A Nokia registrou mais um recorde de vendas da sua linha Lumia de Windows Phones, com 8,8 milhões de smartphones vendidos no terceiro trimestre de 2013.

O número é maior que o recorde do trimestre passado de 7,4 milhões de Lumias, além de representar um crescimento de mais de 250% se comparado aos 2,9 milhões vendidos no mesmo período no ano passado. Se somados todos os Lumias vendidos até hoje desde novembro de 2011, já são 36,1 milhões de unidades.

Aos poucos, a Nokia vem recuperando fatia de mercado. Comparativamente, a Huawei, terceira maior fabricante desse terceiro trimestre segundo a Strategy Analytics, vendeu 12,7 milhões de smartphones. Os números da Nokia já não estão assim mais tão longe das 5 maiores fabricantes de smartphones.

Outra boa notícia para a empresa é que as vendas nos Estados Unidos, onde a empresa sempre teve dificuldade de penetrar, também aumentaram, atingindo 1,4 milhão de unidades apenas no país – um aumento de 366% comparado ao terceiro trimestre de 2012.

Boa parte do sucesso da Nokia com o Windows Phone se deve aos modelos de baixo custo, como o Lumia 521 e Lumia 520. Segundo dados da Adduplex, o Lumia 520 é o Windows Phone mais popular do mundo, respondendo por 23% das vendas da plataforma no planeta.

Para o próximo trimestre, a empresa tem na manga os lançamentos dos phablets Lumia 1520 e Lumia 1320, além do esperado lançamento do Lumia 929, com corpo de alumínio e câmera de 20 megapixels, que deve ser lançado nos Estados Unidos pela operadora Verizon. Além dos smartphones, a Nokia fará sua estreia no mercado de tablets com o Lumia 2520.

Lucro no geral, mas prejuízo na divisão mobile

A Nokia registrou lucro operacional de 118 milhões de euros, o que é uma bela melhoria comparado ao prejuízo de 576 milhões de euros no terceiro trimestre de 2012. A receita, no entanto, ficou em apenas 5,66 bilhões de euros.

Apesar do aumento nas vendas, a divisão de Dispositivos e Serviços teve prejuízo de 86 milhões de euros. De forma geral, a Nokia ficou acima das expectativas de Wall Street, vendendo mais Lumias e aumentando sua participação no mercado norte-americano.

Este talvez seja o último trimestre "independente" da Nokia, já que a negociação da venda para a Microsoft está próxima de ser encerrada, mas o futuro parece mais promissor. As vendas aumentaram, os custos com pesquisa e desenvolvimento estão menores assim como os custos com salários depois dos cortes de funcionários, e a empresa terá a injeção do dinheiro da Microsoft. Será que estamos assistindo a Nokia ressurgir no mercado?