Nokia pode voltar ao mercado de smartphones com celular Android

Por Redação | 03.11.2014 às 14:29 - atualizado em 03.11.2014 às 16:15
photo_camera The Verge

Neste ano, a Microsoft concluiu a aquisição do setor de smartphones da Nokia. A divisão passa a trabalhar sob o guarda-chuva da companhia de Redmond e exclusivamente com o sistema operacional Windows Phone, enquanto a empresa finlandesa “original” continua nos setores de mapas e equipamentos. Mas isso não significa que a fabricante está disposta a deixar o mundo mobile, já que rumores recentes indicam que ela estaria disposta a entrar no mercado de baixo padrão com um dispositivo Android.

São essas as informações publicadas nesta segunda-feira (03) pelo site Phone Arena, que diz ter ouvido fontes chinesas familiarizadas com o assunto. A equipe responsável pelo desenvolvimento desse possível novo aparelho é a mesma que trabalhou no Nokia N9, de 2011, dispositivo que utilizava uma versão simplificada do sistema lançado antes da empresa adotar o Windows Phone como principal plataforma para seus aparelhos.

Os rumores ganharam ainda mais força quando a Nokia revelou que tem um anúncio para fazer no dia 17 de novembro. A novidade estaria relacionada aos planos futuros da empresa agora que a incorporação com a Microsoft foi concluída. A ideia é que a companhia finlandesa tem agora terreno livre para fazer o que quiser, inclusive retornar ao mercado de celulares.

Há, porém, um pequeno problema. Por mais que tenha liberado a marca para seguir seu caminho e não pretenda mais utilizar essa identidade, a Microsoft ainda tem direitos sobre celulares com o nome “Nokia” até 2016. Então, fica a dúvida: será que estamos diante de um projeto mobile a longo prazo ou a chegada de um novo título a esse segmento? Caso o anúncio de 17 de novembro realmente seja relacionado a isso, pelo menos, não deve demorar muito para que saibamos a verdade.

Oficialmente, a Nokia não se pronunciou sobre a questão. Mas levando em conta que ela ainda é um dos nomes mais reconhecidos no mercado mobile, apesar de não ter uma posição tão boa em relação a market share, um retorno a esse mundo é totalmente plausível.