No Brasil, vice-chairman da Salesforce fala sobre expansão na presença local

Por Rafael Romer | 06 de Dezembro de 2013 às 12h32
photo_camera Divulgação

Líder no mercado de CRM e serviços de cloud, a Salesforce deve continuar seus investimentos e expansão local no Brasil, afirmou o vice-chairman da companhia, Frank Van Veenendaal, em entrevista ao Canaltech durante visita ao país. "Com esse investimento e nossa presença física, nossos grandes clientes e companhias se sentem muito mais confortáveis para aumentar seus investimentos na Salesforce", disse.

A Salesforce deu início à sua operação no Brasil há cerca de oito anos, mas anunciou a abertura de seu primeiro escritório local, em São Paulo, em junho deste ano. O país é considerado hoje o oitavo mais importante mercado para a Salesforce no mundo, e recebe investimentos substancialmente maiores da empresa por fazer parte do grupo considerado de top tier pela empresa. Atualmente, cerca de 1,5 mil dos 3 mil clientes da Salesforce na América Latina estão aqui. Após o Brasil, México e Colômbia seguem com os principais focos da companhia.

Questionado sobre novos negócios da companhia que surgiram após a abertura da subsidiária brasileira, Veenendaal cita um acordo recentemente fechado com uma companhia do setor de seguros do país. Sem citar o nome da empresa, o VC afirma que a Salesforce deverá participar do processo de renovação da companhia de sua área de engajamento de cliente, em investimento de US$ 250 milhões em cinco anos. "Não acredito que isso teria ido adiante sem o investimento que estamos fazendo nesse mercado", afirma.

A expansão na presença local segue os resultados positivos anunciados pela Salesforce para o terceiro trimestre do ano fiscal de 2014. Há cerca de duas semanas, a empresa reportou um crescimento de 36% na receita do período, atingindo a marca de ser primeira do setor de cloud a lucrar US$ 1 bilhão em um trimestre. As expectativas da empresa são de fechar o ano fiscal de 2014 com lucros de US$ 4,05 bilhões. Para o ano fiscal de 2015, as projeções são de US$ 5,20 bilhões.

Parte considerável dos resultados da Salesforce se devem à recente aquisição da companhia de marketing de e-mail ExactTarget. Fechada em junho por US$ 2,5 bilhões, a aquisição traz novas possibilidades de lucros com a expertise da ExactTarget no setor B2C (business to consumer), em oposição ao tradicional modelo B2B (business to business) da Salesforce, segundo afirmou Veenendaal.

"A aquisição da ExactTarget realmente acelerou nossa presença no mercado brasileiro porque eles já tinham um escritório aqui. Agora estamos aproveitando isso", afirmou Enrique Perezyera, Presidente Regional de América Latina e Caribe da Salesforce. A empresa está agora em processo de busca de um Gerente Regional para o país.

Salesforce 1

A Salesforce apresentou recentemente a renovação de sua plataforma mobile para administradores, usuários finais e desenvolvedores, a Salesforce 1, durante a realização de sua conferência para desenvolvedores Dreamforce.

Durante o evento, a empresa promoveu uma hackathon para desenvolvimento de aplicativos para o Salesforce 1, que gerou críticas por parte da comunidade desenvolvedora. Com a inscrição de mais de 4,5 mil participantes, o time vencedor do prêmio de US$ 1 milhão incluía um ex-funcionário da Salesforce, o que levantou desconfianças de que o concurso teria sido fraudado.

Para contornar o problema, a empresa anunciou na segunda-feira (2) que o time que ficou em segundo lugar no torneio também receberia o prêmio da primeira colocação. "Nós ainda estamos aprendendo a fazer essas hackathons e algumas das informações sobre o regulamento talvez não tenham ficado tão claras. Nós tomamos a decisão a portas fechadas e recebemos algumas críticas", explicou Veenendaal. "E parece que isso deixou todos felizes", brincou.

A Salesforce anunciou ainda uma parceria com a Hewlett-Packard (HP) para soluções multi-tenant em cloud, que irão rodar na infraestrutura convergente da HP. De acordo com Veenendaal, a parceria foca em grandes clientes da Salesforce, como o setor público, que buscam soluções em nuvem da empresa em uma infraestrutura privada. Normalmente, as soluções da Salesforce são comercializadas na nuvem pública da empresa, e podem não atender às demandas de corporações que desejem gerenciar seus ambientes de maneira mais próxima.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.