Na guerra entre Apple e Samsung, a vencedora é a Microsoft

Por Luciana Zaramela | 29 de Agosto de 2012 às 18h15

Parece que a guerra de patentes entre Apple e Samsung finalmente deu uma trégua, com a vitória da Apple no primeiro round. Enquanto a sul-coreana foi acusada de infringir algumas patentes da Maçã, como o look-and-feel do iPhone, seus aplicativos nativos, alguns ícones e vários recursos de interface, tudo que os consumidores queriam saber foi facilmente transmitido pelos meios de comunicação em um resumo de cinco palavras: "a Samsung copiou a Apple".

Apesar de não ser bem assim, o caso trata de algumas quebras de patentes, e não de cópias descaradas. No entanto, a moral da história manchou a reputação da fabricante do Galaxy e tudo indica que o caminho que ela terá de percorrer será longo e tortuoso.

Enquanto o juiz batia o martelo e declarava a Apple como vencedora, a Samsung chorava o leite derramado e, lá de longe, discretamente, uma terceira peça importantíssima do quebra-cabeças que forma o cenário atual da disputa dos smartphones no mercado se deleitava em um sorisso tranquilo. Essa peça chama-se Microsoft.

Basta uma breve análise dos fatos para compreendermos o que acontecerá nos próximos meses: se o Android copiou o iOS e as ações da Samsung começam a afundar na bolsa, os fabricantes de celulares terão de buscar novas alternativas para não sucumbirem ao mercado competitivo. O que muita gente não lembra (talvez por estar aguardando ansiosamente o lançamento do novo iPhone, no dia 12 de setembro) é que, daqui a alguns dias, mais precisamente dia 5 de setembro, a Microsoft irá lançar seu novíssimo sistema operacional móvel, o Windows Phone 8, com uma interface totalmente diferente das que estamos acostumados a ver em Galaxies e iPhones.

Neste momento em que o Android e a Samsung se tornaram alvos de críticas, parece que todo o universo conspira a favor da Microsoft, que irá lançar seu novo sistema e gritar em alto e bom som, para todo mundo ouvir: "Nós temos um sistema operacional totalmente diferente e interface incrivelmente original! Não copiamos nada de ninguém e estamos repletos de novidades!".

E dias antes de todas as atenções se voltarem para o lançamento do iPhone - excelente vantagem competitiva para a empresa de Steve Ballmer. Pronto! Não haveria situação melhor para que a Microsoft fizesse sua entrada triunfal no mercado. É a grande chance de conquistar novos clientes.

Paremos para pensar no desenrolar dos fatos: tanto o Android quanto o iOS possuem suas lojas de aplicativos consolidadas e fortes no mercado. E o Windows Phone? Ora, bastante elementar: o Market Place da Microsoft está relativamente engatinhando até o momento. O que será que vai acontecer com a loja virtual de aplicativos do Windows Phone em meio a um cenário onde tudo que reluz é ouro? Nada menos que um boom de programadores e desenvolvedores querendo comercializar seus apps.

Além da Microsoft, outra empresa deve estar sorrindo à toa: a Nokia. Ela é a responsável por fabricar alguns dos primeiros aparelhos com o sistema Windows Phone, e terá uma chance tão boa quanto a da Microsoft para chegar estourando na mídia. Para estas duas empresas que, até então, entraram em desfoque no mercado dos smartphones, o fato de a Samsung ter dado uma escorregada veio - e muito - a calhar.

E as más notícias para o Samsung não param por aí. Com tantas pedras lançadas sobre o "smartphone que copiou o iPhone", as fabricantes de smartphones e tablets procurarão por um sistema operacional original, livre de multas e infrações de patentes. Elas irão buscar por acordos com empresas que possuem soluções licenciadas, que sejam totalmente diferentes do iOS e do iPhone. Outro ponto para a Microsoft, que, provavelmente, irá vender o sistema operacional como água.

Pensando um pouco mais no futuro: suponhamos que o Windows Phone 8 comece a fazer sucesso e a construir o seu legado. Os consumidores e fabricantes de gadgets simplesmente virarão as costas para o Android? De acordo com um posicionamento do Google, a decisão nos tribunais não foi diretamente relacionada ao núcleo do sistema operacional, já que o sistema padrão não tem grandes relações com as patentes da Apple. E a Samsung, grande parceira do Google, como pode sair dessa? A resposta para esta questão está nos planos da própria Samsung.

A empresa sul-coreana, por sorte, (leia-se puro planejamento estratégico), tem uma carta na manga: a linha Focus. Em termos de hardware, ela traz praticamente os mesmos componentes, mas não executará o Android. A Samsung já afirmou que os novos dispositivos terão um sistema operacional diferente, que ainda não foi lançado, mas o será em breve. Esse sistema é o Windows Phone 8. Outro ponto para a Microsoft!

As brigas entre Samsung e Apple nos tribunais não acabaram, e tudo indica que a história vai ser longa. Mas, depois de ver apenas a ponta do iceberg de prejuízos, a Samsung certamente não vai ficar parada nessa história, segurando uma bomba que pode explodir a qualquer momento. Enquanto a Nokia mergulha de cabeça na plataforma Windows, a HTC ainda espera ultrapassar a dominância de mercado da Samsung com o sistema Android. A Huawei e a ZTE também estão prontas para alavancar o Microsoft OS, e a Samsung deve reagir e voltar a disputar o mercado com sua nova linha.

Só que, para reagir em um mercado no qual sua reputação está para lá de manchada, a Samsung vai ter que apostar em um maior envolvimento com a Microsoft, bolar melhores estratégias de marketing para valorizar seus clientes e evitar grandes perdas na clientela e, principalmente, reconquistar a confiança dos consumidores, antes que seja tarde demais.

Depois que a Apple espalhou para o mundo inteiro que estava sendo explicitamente copiada pela Samsung, o caldo começou a entornar. Mas, mesmo sentindo o gosto da vitória na primeira etapa de processos judiciais, parece que a Apple não será a magnânima detentora do mercado de smartphones e tablets. Nessa batalha toda, quem deve receber o Oscar de melhor atriz é a Microsoft.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.