Motoristas do Vale do Silício lutam por melhores condições de trabalho

Por Redação | 24 de Fevereiro de 2015 às 07h31

Um elemento normalmente renegado das coberturas de tecnologia pode acabar causando certa dor de cabeça para as empresas do Vale do Silício. Como aponta reportagem da PC World, as empresas prestadoras de serviço de transporte para as companhias da região estão começando a se mobilizar em busca de maiores salários e melhores condições de trabalho, com o Facebook sendo o primeiro nome atingido pelas possíveis mudanças.

Quem presta serviços para a empresa de Mark Zuckerberg é a Loop Transportation, responsável por levar e trazer os funcionários da rede social até o campus, localizado em Menlo Park. A companhia pede, entre outras mudanças, um aumento nos salários, que devem passar de US$ 18 a hora para US$ 24,50, além de mais benefícios como planos de saúde e de carreira.

Mais do que isso, a Loop está dando os primeiros passos para a criação de um sindicato dedicado aos motoristas do Vale do Silício. Em novembro do ano passado, funcionários da companhia votaram para que a empresa se tornasse parte de uma organização chamada Teamsters Local 853, que, agora, deseja se unir também a outras prestadoras de serviço da região.

Caso a proposta de mudanças nos valores seja aprovada pelo Facebook, acreditam os representantes da Loop, será um grande passo para que o sindicato decole e comece a agregar mais membros. Nas próximas semanas, representantes de companhias de transporte que trabalham para empresas como Apple, Yahoo!, Zynga e eBay também devem ser contatados para que revejam seus contratos de trabalho e solicitem mudanças em busca de melhores condições de trabalho.

Mudanças gerais

Mais do que tudo isso, trata-se de uma em busca da igualdade no setor. Como cita a reportagem, um relatório da organização Working Partnerships USA, lançado em agosto, denunciou a utilização de mão-de-obra barata em setores como o de limpeza, segurança, construção, cozinha e transporte. Muitos dos funcionários desses segmentos seriam imigrantes, muitos deles ilegais, que receberiam menos dinheiro e benefícios justamente por essa condição.

O plano do sindicato dos motoristas, no final das contas, é se expandir para além do próprio setor de transportes. No futuro, o objetivo da Teamster Local 853 é se tornar uma organização que represente os interesses das minorias no Vale do Silício e que trabalhe em prol daqueles que, como chamou a própria organização, são os “trabalhadores invisíveis”, que não compartilham das inovações tecnológicas das empresas em que atuam nem são lembrados quando elas apresentam números de faturamento impressionantes.

A iniciativa tem o apoio de grupos que lutam pelos direitos civis. Como efeito de tais mudanças, a Microsoft, por exemplo, já anunciou que pretende investir US$ 300 milhões em qualificação, desejando garantir que uma significativa fatia de sua força de trabalho seja representada por mulheres e minorias até 2020.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.