Monopólio: Google ameaçou tirar grandes empresas dos resultados de busca

Por Redação | 20 de Março de 2015 às 10h56
photo_camera Divulgação

A Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC) abriu uma investigação contra o Google em 2012 para determinar se o monopólio da empresa no mercado de buscas violava as leis de livre concorrência do país. Apesar da investigação ter terminado em um acordo aceito pela Comissão, um relatório desta semana revela o quão dividida estava a Comissão sobre a possibilidade de processar a gigante de tecnologia.

O acordo incluía pequenos ajustes que o Google teria que realizar em suas práticas de negócios. Apesar de argumentar que o acordo não apresentava nenhuma irregularidade, os principais funcionários da FTC queriam abrir uma ação direta contra a empresa após o recolhimento de nove milhões de documentos durante a investigação.

Essa ação incluiria a abordagem de alguns casos, em especial quando o Google tentou impedir o aparecimento do conteúdo de empresas como Yelp, TripAdvisor e Amazon nos resultados de busca. No caso da Amazon, o Google substituiu produtos da varejista por opções próprias nos resultados das pesquisas. Quando as empresas se queixaram sobre o processo adotado pela gigante das buscas, o Google ameaçou tirá-los inteiramente dos resultados. A comissão, em última instância, decidiu deixar que os sites optassem em sair do processo.

Jon Leibowitz, presidente da FTC na época em que a comissão decidiu em favor do Google, afirmou em 2013 que as mudanças que o próprio Google resolveu fazer se tratavam da melhor opção possível para a resolução do problema. Kent Walker, assessor legal do Google, declarou nesta quinta-feira, em nota, que “após uma revisão exaustiva de 19 meses, os funcionários da FTC e os cinco comissários concordaram que não existe necessidade de mudança na forma como o Google classifica e mostra os resultados de suas buscas. Desde que a investigação foi encerrada, há dois anos, aumentamos as formas nas quais as pessoas procuram informações em linha, o que permite que os consumidores tenham mais opções do que nunca".

No entanto, as afirmações de Leibowitz e Walker vão na contramão das declarações registradas no relatório desta semana. Segundo o documento, a conduta do Google "ajudou a manter, preservar e aumentar sua posição monopolista no mercado de busca e publicidade, em violação da lei". Na avaliação de alguns funcionários do FTC, o comportamento da empresa teria efeitos negativos no bem-estar dos consumidores.

A revelação do relatório pode levar os concorrentes do Google a abrir novos processos, desta vez para pressionar ainda mais as autoridades em um veredito desfavorável a empresa de Mountain View.

Fonte: The Wall Street Journal

Fonte: http://www.theverge.com/2015/3/19/8260073/google-ftc-leaked-anti-trust-report

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.