Ministro da Educação quer transformar Enem em uma prova online

Por Redação | 09.01.2015 às 17:50
photo_camera Foto: Divulgação

A prova do Enem pode passar por uma grande mudança nas próximas edições. Cid Gomes, novo ministro da educação, tem o objetivo de reviver um projeto do governo federal e aplicar uma prova online do exame, além de obrigar os estudantes a fazer mais de um teste do Enem por ano.

En entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Gomes afirma que vai levar a proposta à presidente Dilma Rousseff e que a ideia é acabar com a aplicação do exame em um único fim de semana. Com o novo programa, o candidato poderia ir até locais credenciados para realizar as provas. Se o projeto for aprovado, os testes não serão mais de papel, mas sim em computadores. "Cada aluno faria uma prova diferente, com escolha aleatória das questões", comenta o ministro.

O modelo da nova proposta para o Exame Nacional do Ensino médio é parecido com o SAT, programa semelhante ao Enem que acontece nos Estados Unidos. A novidade seria possível, já que a metodologia do Enem, chamada de TRI (Teoria de Resposta ao Item), oferece a possibilidade de elaboração de provas diferentes, mas com o mesmo grau de dificuldade.

Gomes comenta ter interesse em adotar o novo modelo em seu período à frente da pasta e ainda não há um prazo definido. Faculdades públicas já estariam credenciadas para a aplicação das provas e o aluno poderia fazer quantas edições do Enem ele desejar, sendo a primeira vez gratuita.

Para que o projeto seja colocado em prática, é necessária a criação de um banco de questões ainda maior, além de uma rede confiável. Gomes pretende que esse banco seja público. "Com isso, elas poderiam ser analisadas por entidades e questionadas, se for o caso. Seriam milhares de perguntas para cada área. Se o aluno conseguir decorar todas, ele é um gênio", explica.

A proposta da criação de mais de um Enem por ano foi descartada pelo governo de Dilma em 2009, quando foi sugerida por Fernando Haddad, ministro da época.