Microsoft volta atrás e devolve endereços 'roubados' relacionados ao No-IP

Por Redação | 04 de Julho de 2014 às 14h43

A desastrada tentativa da Microsoft de melhorar a segurança de sua rede a partir da obtenção de domínios pertencentes ao serviço No-IP parece ter chegado a um fim. Nesta sexta-feira (4), a empresa anunciou que está devolvendo à empresa os 23 endereços obtidos após uma decisão favorável emitida pela justiça dos Estados Unidos.

O caso começou como uma tentativa da Microsoft de desmantelar redes de Botnets e interromper a proliferação de duas famílias de malware, que estavam usando os sistemas da No-IP para se espalharem por aí. Como a No-IP, inicialmente, se recusou a cooperar, a empresa não viu outra alternativa a não ser recorrer à justiça para obter controle de uma série de domínios e realizar a desconexão de todos os endereços relacionados a eles.

O problema é que a medida, apesar de ter sido eficaz para os fins de segurança, acabou afetando também usuários legítimos dos serviços, o que inclui também uma série de assinantes da plataforma, que é controlada pela Vitalwerks Internet Solutions. A própria companhia foi a primeira a criticar a Microsoft por seus prejuízos, e o que se seguiu foi uma resposta negativa semelhante por parte de utilizadores afetados ou não.

O desligamento de IPs relacionados às ameaças teria sido responsável até mesmo pela retirada do próprio site do No-IP do ar. De acordo com informações do site Ars Technica, 18 domínios tomados por meio da ação judicial já teriam sido devolvidos, e a Vitalwerks espera agora que todo o processo seja completado o mais rápido possível. Para os usuários, tudo deve estar funcionando perfeitamente.

O No-IP trabalhava com um sistema de DNS dinâmico, que conferia mais segurança aos sites. Em vez de ligar domínios a endereços de IPs estáticos relacionados às páginas, o sistema trabalhava para garantir redirecionamentos toda vez que os números eram alterados, sem causar danos aos usuários dos sistemas.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.